Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 20/06/2014
  • 09:49
  • Atualização: 10:07

Funcionários da Carris devem parar quatro linhas de ônibus nesta sexta

Movimento decorre de assaltos a coletivos que percorrem a zona Leste da Capital

Funcionários da Carris devem parar quatro linhas de ônibus nesta sexta | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

Funcionários da Carris devem parar quatro linhas de ônibus nesta sexta | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

  • Comentários
  • Bibiana Borba / Rádio Guaíba

As linhas de ônibus T3, T4, T8 e T10 devem parar de circular das 17h às 19h desta sexta-feira, em Porto Alegre. Motoristas e cobradores da Carris fazem um protesto por mais segurança. A mobilização começou depois de uma série de mais de 15 assaltos no último mês, na região entre as avenidas Antônio de Carvalho e a Ipiranga, na zona Leste da Capital.

• Linhas de ônibus terão horário reduzido nesta sexta

O delegado sindical da Carris, Luís Afonso Martins, explica que a meta é chamar a atenção para o desamparo de regiões periféricas enquanto o policiamento é reforçado apenas nas áreas turísticas durante a Copa do Mundo. “Nós queremos mostrar para a sociedade que os trabalhadores também precisam de mais segurança”, sustenta.

As linhas T4, T8 e T10, que percorrem a zona Leste, foram alvos de até três assaltos por dia, segundo os trabalhadores. Cobradores e motoristas do T3, que cumprem trajeto entre as zonas Norte e Sul, devem parar por solidariedade aos colegas da zona Leste. O trecho fica na divisa entre as áreas de dois batalhões da Brigada Militar: o 19º, que monitora a avenida Ipiranga, e o 20º, que cuida do policiamento da Antônio de Carvalho. Esse ponto é considerado mais crítico pelo comandante do 20º Batalhão, que garante que são realizadas operações especiais, quase todos os dias, para conter assaltos. “A maioria são casos de usuários de drogas que assaltam esporadicamente para sustentar o vício. Fazemos operações especiais, mas quando veem a nossa movimentação, eles não assaltam”, garante o tenente-coronel Marcelo Pitta.

Os trabalhadores do transporte coletivo fazem uma assembleia às 16h desta sexta para confirmar a adesão à greve e tentar angariar manifestantes de outras linhas. O grupo não recebe o apoio do sindicato que representa os funcionários da Carris. A empresa informou, por meio de assessoria de imprensa, que não recebeu nenhum comunicado oficial sobre a paralisação. Um plano de contingência deve ser colocado em prática se a greve se confirmar. Além da manifestação, a tabela horária de verão dos ônibus, programada para esta sexta, pode causar atrasos em todas as linhas de ônibus.

Bookmark and Share