Porto Alegre, sábado, 22 de Novembro de 2014

  • 26/06/2014
  • 17:35
  • Atualização: 17:56

Estado registra queda de 90% nos casos graves de gripe em relação à 2013

Em 2014, foram registrados apenas 14 ocorrências sem nenhum óbito

  • Comentários
  • Camila Kila/Rádio Guaíba

Até o início do inverno, que começou no último sábado, o Rio Grande do Sul apresentou uma redução superior a 90% nos casos graves de gripe em relação ao ano passado. Conforme a Secretaria Estadual da Saúde (SES), no mesmo período de 2013, haviam sido registrados 197 casos, contra somente 14 neste ano. Até a 25ª semana do ano passado, o Estado havia registrado 18 óbitos causados pelos vírus Influenza dos tipos A (H1N1 e H3N2) e B, enquanto em 2014 ainda não teve registro de mortes.

Como a investigação leva em conta as semanas de início de sintomas, os números de casos deste ano ainda podem ter um aumento com a entrada de novas ocorrências que ainda não foram confirmadas. São notificadas internações hospitalares por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), caracterizada por dificuldade respiratória associada ao aparecimento súbito de febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga.

Para a manutenção dos baixos índices, a SES adverte para o reforço das medidas de prevenção e tratamento da doença, em razão da chegada dos meses de temperaturas mais baixas em território gaúcho.

O enfrentamento à gripe ocorre através do tripé formado pela vacinação, prevenção e tratamento. Na primeira fase, mais de 3 milhões de gaúchos foram vacinados durante a campanha iniciada em abril, com priorização dos grupos considerados de risco. Ao todo, a cobertura foi de aproximadamente 85% do público-alvo.

Agora, o foco são as medidas de prevenção, com cuidados principalmente com as mãos, um dos principais meio de transmissão. A recomendação é para que as pessoas procurem lavar as mãos várias vezes ao dia, com álcool em gel ou sabonete e, ao tocar superfícies de locais públicos, evitar passar as mãos nos olhos, boca e nariz. Outras ações podem ser realizadas, como cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal; e ventilar os ambientes.

Enquanto a prevenção é essencial para diminuir a circulação do vírus, o tratamento é capaz de evitar complicações, como pneumonias, quando feito no início dos sintomas. Assim, ao sinal de febre, dor de garganta e dor de cabeça, nas articulações, ou muscular, a pessoa deve procurar atendimento médico.

O antiviral Oseltamivir, de nome comercial Tamiflu, está disponível em todo o Estado, gratuitamente nos postos de saúde. O uso nas primeiras 48 horas dos primeiros sintomas da gripe é fundamental para impedir o agravamento dos casos.

Bookmark and Share