Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 27/06/2014
  • 21:18
  • Atualização: 21:24

Hospital da Restinga será aberto a pacientes nesta segunda-feira

Prefeitura conta com a presença da presidente Dilma para inauguração oficial, na quinta

  • Comentários
  • Camila Kila/Rádio Guaíba

O Hospital da Restinga, na zona Sul de Porto Alegre, entra em funcionamento na segunda-feira, antes da inauguração oficial, programada para a próxima quinta-feira. Conforme a assessoria de imprensa da prefeitura, a previsão é que o evento ocorra às 9h30min, com a presença do prefeito José Fortunati. A participação da presidente Dilma Rousseff é aguardada, mas ainda precisa ser confirmada pelo Palácio do Planalto.

O Governo do Estado também prevê a participação da presidente em eventos no Interior. A assessoria do governador Tarso Genro informou que ela pode participar de duas ações em Uruguaiana, na Fronteira Oeste, na próxima sexta-feira. Além de formatura do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), é prevista outra atividade, ligada ao programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal. A confirmação deve ocorrer até segunda-feira. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que também previa a vinda de Dilma para inaugurar o viaduto da BR 116, em Sapucaia do Sul, libera o tráfego pela parte superior da estrutura no domingo.

O Hospital da Restinga abre ao público às 23h de segunda-feira. O Pronto Atendimento funciona, de início, com 25 leitos e 62 vagas para internação, com capacidade para atender até 13 mil pacientes por mês, entre adultos e crianças. As operações devem ser ampliadas de forma gradual pelo Sistema Único de Saúde (SUS), com 250 funcionários. Ainda não há data para a abertura da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), centros cirúrgicos e consultórios especializados.

A previsão é de que o hospital chegue à capacidade total de 170 leitos até abril de 2015, com o trabalho de 800 profissionais. A unidade vai ser mantida pela equipe do Hospital Moinhos de Vento, com recursos da União, Estado e município. A meta é desenvolver um Sistema Regional de Saúde para atender os 110 mil moradores do Extremo Sul da Capital.


Bookmark and Share