Porto Alegre, sábado, 20 de Dezembro de 2014

  • 28/06/2014
  • 19:25
  • Atualização: 19:37

Nível do rio Uruguai baixa, mas temor continua em Iraí

Quase 1,5 mil pessoas tiveram que deixar as casas

Quase 1,5 mil pessoas tiveram que deixar as casas | Foto: Fernando Sucolotti / Especial / CP

Quase 1,5 mil pessoas tiveram que deixar as casas | Foto: Fernando Sucolotti / Especial / CP

  • Comentários
  • Agostinho Piovesan / Correio do Povo

O nível do rio Uruguai, em Iraí, baixou 10cm na tarde deste sábado, mas mesmo assim o nível do rio está 17,8 metros acima do normal, apenas 20cm a menos da maior enchente registrada na cidade em 1983. Naquela ocasião o rio subiu 18 metros e, além de alagamentos de casas, a água invadiu a BR 386.

Segundo o prefeito de Iraí, Volmir Bielski, uma chuva leve caiu na cidade nessa tarde e a tendência é que o nível da água continue baixando. “Mas temos a preocupação quanto a novos registros de abertura das comportas da Usina Foz do Chapecó, em Alpestre, pois isso a angústia continua muito grande por parte das 460 famílias que tiveram que deixar suas casas, além de outros moradores ribeirinhos”, afirma.

São 1.450 pessoas (460 famílias) que tiveram que deixar suas casas e estão abrigadas no Minuano CTG, em salões comunitários de igrejas, e em residências de parentes e amigos. Durante a tarde deste sábado o coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Oscar Luiz Moiano esteve em Iraí e participou de uma reunião com o prefeito Bielski, além de representantes do Exército, Corpo de Bombeiros e Brigada Militar. “Foi confirmado que equipes do Exército de Ijuí devem chegar nas próximas horas a Iraí para desenvolver ações na cidade”, informou o prefeito. Ele disse, ainda, que na reunião ficou acertado que a Defesa Civil estadual deve enviar colchões, carros-pipa e bombonas de água que serão entregues aos desabrigados. “De toda a região estão chegando donativos e a gente precisa destacar a solidariedade das pessoas”, observa o chefe do Poder Executivo.

Parte dos moradores da cidade em áreas de risco estão sem energia elétrica e água. Além dos problemas na cidade, segundo a administração municipal, são registrados prejuízos incalculáveis na zona rural. Iraí possui 500 quilômetros de estradas e 400 foram danificados.

A passagem de veículos e pedestres está proibida na ponte sobre o rio Uruguai, em Iraí. Um dos caminhos que os motoristas podem utilizar é o município de Alpestre. A ponte na barragem da Usina Foz do Chapecó, que ligar Alpestre (RS) a São Carlos (SC) dá passagem normal. No entanto somente veículos leves podem utilizar a ponte.

O Centro Hidroterápico Osvaldo Cruz de Iraí continua cercado pela água, a uma altura de 12,50 metros. A área do centro hidroterápico e de camping, junto à cidade, foi tomado pela água do rio do Mel, que foi represado pelo rio Uruguai.

O Exército ficará sediado no Parque de Exposições de Frederico Westphalen, distante 30 quilômetros da cidade de Iraí, sendo como base de apoio para toda a região do Médio Uruguai, onde vários outros municípios sofrem com a enchente.

Bookmark and Share