Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 03/07/2014
  • 18:07

Polícia suspeita que quadrilha de drogas sintéticas faturava R$ 15 mil por festa

Cinco pessoas foram presas na operação ‘Rei do Camarote, em São Leopoldo

Polícia Civil prende cinco em operação Rei do Camarote  | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

Polícia Civil prende cinco em operação Rei do Camarote | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Lucas Rivas/Rádio Guaíba

O delegado Mário Souza suspeita que a quadrilha especializada em drogas sintéticas desarticulada nesta quinta-feira, em São Leopoldo, tinha lucro de até R$ 15 mil em cada festa rave (de música eletrônica) em que vendia alucinógenos em Porto Alegre e região Metropolitana. A maioria do lucro vinha da comercialização de cápsulas de ecstasy, que eram vendidas por até R$ 100 cada, disse Souza.

Nesta manhã, a Polícia Civil deflagrou a operação “Rei do Camarote”, no município do Vale do Sinos. Ao todo, foram presos três homens e duas mulheres suspeitos de comandar o tráfico nessas situações.

O saldo final da ação foi a apreensão de 300 cápsulas de ecstasy, 48 micropontos de LSD, Special K, lança-perfume anabolizantes e maconha. Além da droga, os policiais apreenderam cerca de R$ 6,5 mil, um carro e dezenas de camisetas promocionais de festas e ingressos. O valor total dos entorpecentes recolhidos chega a R$ 25 mil.

Ainda de acordo com Mário Souza, o perfil dos presos é de classe média e com alto nível cultural. A quadrilha agia nos bairros Campina, Rio do Sinos, Scharlau, Santos Dumont e Centro. Uma lan house era usada como ponto de distribuição de entorpecentes. Cada cliente interessado nas festas de música eletrônica recebia um kit com camiseta, ingressos e a droga. Os homens foram encaminhados para o Presídio Central e as mulheres seguiram para Penitenciária de Montenegro.

Bookmark and Share