Correio do Povo | Notícias | Prefeito de Não-Me-Toque é alvo de ações criminais e de improbidade

Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 20 de Novembro de 2018

  • 11/07/2018
  • 14:39
  • Atualização: 15:05

Prefeito de Não-Me-Toque é alvo de ações criminais e de improbidade

Crimes de assédio sexual, abuso de autoridade e perturbação do sossego integram a denúncia

  • Comentários
  • Correio do Povo

A Procuradoria de Prefeitos apresentou nesta semana perante a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça denúncia contra o prefeito de Não-Me-Toque, Armando Carlos Roos, pelos crimes de assédio sexual contra duas vítimas, importunação ofensiva contra uma terceira vítima, abuso de autoridade, além da contravenção penal de perturbação do sossego. Já a Promotoria de Justiça de Não-Me-Toque, município da região Alto do Jacuí, ajuizou ação civil pública por atos de improbidade administrativa contra o prefeito em relação aos mesmos fatos. 

O promotor Leandro Tatsch Bonatto também entrou com pedido liminar de afastamento do prefeito. A ação foi ajuizada na Justiça da Comarca no dia 6. A primeira denúncia é sobre fato que teria ocorrido em 2017, quando uma servidora de carreira do município procurou a Polícia Civil para denunciar que o prefeito a rebaixou de cargo por não aceitar um pedido de cunho sexual feito por ele.

O fato seguinte surgiu com a divulgação de um vídeo, no qual uma mulher grava conversa com Ross. Ela trabalhou na prefeitura em cargo comissionado e, de acordo com a denúncia, em troca da vaga, o prefeito teria solicitado “favores sexuais”. Após as acusações, o prefeito afirmou, em nota oficial, que “uma suposta vítima utilizou-se da confiança do mesmo para gravar o referido vídeo, e somente um ano depois veio a público divulgá-lo, após a sua exoneração". 

O Correio do povo fez contato com a Administração Municipal. A secretária do chefe do Executivo se limitou a informar que ele "não iria se manifestar no momento”. Ela confirmou que o prefeito está na cidade.