Correio do Povo | Notícias | Veado-catingueiro atropelado na Rota do Sol volta para a natureza

Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 20 de Novembro de 2018

  • 11/07/2018
  • 16:17
  • Atualização: 16:57

Veado-catingueiro atropelado na Rota do Sol volta para a natureza

O animal passou por tratamento antes de ser devolvido ao seu habitat natural

O animal passou por reabilitação no Gramadozoo | Foto: Halder Ramos / Divulgação / CP

O animal passou por reabilitação no Gramadozoo | Foto: Halder Ramos / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Um veado-catingueiro atropelado na Rota do Sol voltou ao seu habitat natural. O cervídeo, um macho adulto, foi resgatado em junho das ferragens de um carro por dois amigos, Samuel Germann e Rodrigo Gross, do grupo Trilheiros do Guará, de Itati. Após tratamento intensivo, ele pôde ser devolvido à natureza. O caso alerta para o elevado índice de atropelamentos de animais silvestres. Anualmente, 475 milhões morrem nas rodovias do país.

Eles estavam em um posto de combustíveis da cidade quando o veículo chegou com o animal preso na lataria do para-choque, abaixo do motor. Conforme Gross, que gravou a retirada com o celular, o veículo andou por aproximadamente 20 quilômetros com o animal preso nas ferragens. “Teve gente que sugeriu carnear o bichinho, mas não deixamos. Vimos que ele estava vivo”, conta o trilheiro.

Depois de socorrer o animal, os amigos acionaram as equipes da Associação de Preservação Ambiental Mata Paludosa, que fez os primeiros socorros. Em contato com o Setor de Fauna da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, o animal foi transferido para o hospital veterinário do zoológico de Gramado. “Ele chegou em estado bem grave, mas não tinha nenhuma fratura óssea. Fizemos a medicação e o colocamos em repouso”, conta o veterinário Renan Alves Stadler, responsável técnico do Gramadozoo. Ele ficou na área de quarentena do zoo. 

Equipes do Gramadozoo e da Secretaria do Meio Ambiente (Sema) realizaram a soltura do cervídeo na natureza. O local e a data da soltura não serão divulgados para preservar o animal. Em parceira com a Sema, o Gramadozoo pretende usar o caso para criar uma campanha de conscientização para a redução do número de atropelamentos.