Correio do Povo | Notícias | Moradores de Esteio reclamam da dificuldade de tráfego em razão de obra

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 23 de Setembro de 2018

  • 15/01/2018
  • 11:06
  • Atualização: 11:49

Moradores de Esteio reclamam da dificuldade de tráfego em razão de obra

Equipes da prefeitura trabalham na desobstrução de redes de drenagem na avenida Celina Kroeff

A terra acumulada prejudica o trânsito de veículos e de pedestres na área | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

A terra acumulada prejudica o trânsito de veículos e de pedestres na área | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

  • Comentários
  • Fernanda Bassôa

Moradores do bairro Novo Esteio, em Esteio, na Região Metropolitana, reclamam das montanhas de terra espalhadas pela avenida Celina Kroeff. Desde o início de janeiro, equipes da prefeitura trabalham na desobstrução de redes de drenagem, abrindo buracos no canteiro central da via. As famílias reclamam que não há condições seguras para a passagem de carros e pedestres entre as ruas João Batista da Silva e Maracanã, além da quantidade de poeira que invade as residências.

“Não temos mais como deixar os carros estacionados em frente de casa, pois não há espaço para o trânsito dos veículos, especialmente das lotações que circulam a todo momento. Está perigoso e também um tanto constrangedor. Fomos informados das obras, mas não que seria todo este transtorno”, disse o metalúrgico Elton dos Santos Braga Stanforth, 53 anos, que mora há mais de 15 anos no bairro. Vizinha de Elton, Maria Eleni Souza de Viegas, 45 anos, lembra que no final da tarde e aos finais de semana a família costumava se reunir embaixo das árvores para tomar chimarrão e conversar. “É o nosso tempo com a família. As crianças aproveitam aquele espaço para andar de bicicleta e se divertir. Agora, é impossível sair de casa.”

A Prefeitura de Esteio informou que a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos trabalha na recuperação das redes de drenagem em pontos críticos do município. De acordo com a Administração, a avenida tem três redes de drenagem, das quais duas estavam sem manutenção há anos. Um trecho de aproximadamente 300 metros estava completamente obstruído, impedindo o escoamento da água. Como a terra acumulada no local, não havia possibilidade de limpeza apenas com hidrojato. Os operários tiveram que fazer a remoção manual do material depositado, retirando lixo, raízes de árvores e restos de vegetação dos canos.

A limpeza já foi realizada em mais de 80 metros. Após o desbloqueio dos tubos, o caminhão hidrojato finalizará o desentupimento. A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos até o final desta semana.