Correio do Povo | Notícias | Repasse permitirá normalização de atendimentos no hospital de Gramado

Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

  • 24/01/2018
  • 07:56
  • Atualização: 08:31

Repasse permitirá normalização de atendimentos no hospital de Gramado

Desde setembro de 2017, a equipe médica atende apenas casos de urgência e emergência

O Arcanjo São Miguel está sob intervenção pública municipal desde fevereiro de 2017 | Foto: Martina Belotto / Divulgação / CP

O Arcanjo São Miguel está sob intervenção pública municipal desde fevereiro de 2017 | Foto: Martina Belotto / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Halder Ramos

O aumento no repasse mensal da Prefeitura de Gramado para o Hospital Arcanjo São Miguel (HASM) deve garantir a normalização dos atendimentos médicos na casa de saúde. Desde setembro de 2017, a equipe médica atende apenas casos de urgência e emergência em função no atraso do pagamento dos honorários. Conforme o secretário da Saúde de Gramado, João Teixeira, a administração finaliza um novo contrato para disponibilizar mais R$ 150 mil ao hospital.

Atualmente, o repasse é de R$ 476 mil e, com o novo convênio, deve atingir R$ 626.177,06. “O recurso será usado para pagamentos de fornecedores e para colocar os honorários de serviços médicos em dia. Falta quitar uma pequena parcela dos honorários de outubro, além de novembro e dezembro, que venceu em 20 de janeiro”, afirma o secretário.

Segundo Teixeira, faltam detalhes jurídicos para a assinatura do novo contrato. “Os serviços eletivos já poderiam ter sido retomados. Garantimos aos médicos que o repasse será feito. Esperamos que até fevereiro a situação burocrática seja resolvida e os atendimentos retomados”, acredita. O Arcanjo São Miguel está sob intervenção pública municipal desde fevereiro de 2017. O decreto vence em 21 de fevereiro de 2018. “Existe a possibilidade de um grupo de médicos comprar o hospital”, antecipa Teixeira.

O secretário destaca que a administração municipal tem aumentado gradativamente os repasses à casa de saúde. “Em julho de 2017, já havíamos aumentando em mais R$ 100 mil o repasse para auxiliar na manutenção dos leitos UTI SUS e, agora, estamos aumentando novamente. Quem está pagando o déficit do hospital, é o município”, frisa Teixeira.

Além de ampliar o repasse mensal, a prefeitura concedeu um empréstimo de R$ 3,6 milhões ao HASM. O recurso foi depositado na conta da casa de saúde nessa terça-feira (23). Segundo o secretário, o empréstimo deve ser quitado em 11 parcelas, em valores crescentes, até o final de 2018.