Correio do Povo | Notícias | Região Noroeste do RS tem altos índices de infestação do Aedes

Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de Novembro de 2018

  • 21/03/2018
  • 08:33
  • Atualização: 09:17

Região Noroeste do RS tem altos índices de infestação do Aedes

Situação em 22 cidades preocupa equipes da saúde, que intensificam o combate ao mosquito

Agentes realizaram visitações em Horizontina | Foto: Valdir Rogério Fernandes / Divulgação / CP

Agentes realizaram visitações em Horizontina | Foto: Valdir Rogério Fernandes / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Felipe Dorneles

Os índices de infestação do mosquito transmissor da dengue preocupam profissionais da saúde e a população do Noroeste do Estado. Dos 22 municípios de abrangência da 14ª Coordenadoria Regional da Saúde (CRS), apenas um, Alegria, tem índice abaixo de 1%, o máximo tolerado pelo Ministério da Saúde.

O titular da CRS, Valdemar Fonseca, diz que a situação da região é de iminência de epidemia de dengue. “Os índices de infestação são altos em vários municípios. Estamos tomando medidas de apoio e acompanhamento para as equipes”, destaca. Em Horizontina, o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti é de 16,4%, o maior entre as cidades. Tuparendi registra 14,3%; São Paulo das Missões, 9,7%; Giruá, 9,3%; e Santo Cristo, 8,2%. Fonseca lembra que em 2007, quando Giruá enfrentou epidemia, o município tinha 1% de infestação.

Em Santa Rosa, com índice de 5,4%, a preocupação é porque há focos na maioria dos bairros da cidade. “Se um mosquito com o vírus picar alguém, a chance de o vírus se espalhar é grande. Por isso, estamos intensificando a orientação dos municípios e ações para sensibilizar a comunidade. Sem a participação dos moradores, não conseguimos êxito no trabalho”, destaca o titular da CRS.

O coordenador de campo de endemias de Horizontina, Valdir Rogério Fernandes, diz que o município está mobilizado para reduzir o índice. Nesta semana, equipes iniciam um rodízio em regiões da cidade para coletar resíduos. “Estamos solicitando que a população descarte entulhos que estão em pátios das residências e armazene em frente às casas, para as equipes da secretaria de Obras recolherem.” A cada semana, o mutirão ocorrerá em uma região.

Ele diz esperar que o índice seja reduzido logo. Panfletos estão sendo produzidos para distribuição à população. Os materiais impressos vão informar os objetos que lideraram o levantamento de infestação, com água acumulada na cidade, como potes de vasos, baldes, reservatórios e flores. São nove agentes de endemias para visitação a 7 mil residências. A partir desta semana, equipes de agentes de saúde também vão auxiliar nas ações. Uma lei municipal permite a aplicação de multa, de R$ 414,00, caso moradores que receberam notificação não limpem terrenos no prazo de cinco dias.