Correio do Povo | Notícias | Município de Piratini pode ficar sem estação rodoviária

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

  • 28/03/2018
  • 09:32
  • Atualização: 09:47

Município de Piratini pode ficar sem estação rodoviária

Terminal recebe 7 mil passageiros por mês e deverá encerrar as atividades no fim de maio

O prédio, no centro do município, deverá ser alugado | Foto: Nael Rosa / Rádio Nativa / CP

O prédio, no centro do município, deverá ser alugado | Foto: Nael Rosa / Rádio Nativa / CP

  • Comentários
  • Angélica Silveira

A Estação Rodoviária de Piratini, no Sul do Estado, deverá encerrar as atividades no fim de maio. No último dia 20, as detentoras da concessão formalizaram a desistência ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer). O prédio, no centro da cidade, é da família das primas Maristela Lucas Buchweitz e Núbia Gladis da Costa Lucas e deverá ser alugado. “Era do nosso avô e foi passado para nós duas há 38 anos. Nos últimos 30 anos, o movimento caiu em torno de 50%, assim como o número de linhas. Além disso, nenhum dos nossos filhos se interessou por tocar o negócio”, relata Maristela.

Além da zona rural, são oferecidas linhas para os municípios de Pelotas, Pedro Osório, Canguçu e Pinheiro Machado. A rodoviária atende em torno de 7 mil passageiros por mês.

Maristela conta que há seis anos foi feita licitação, que acabou sem interessados. Com isso, as primas mantêm um contrato provisório com o Daer até 31 de maio. Elas indicaram outra pessoa para assumir a rodoviária e que está fazendo a documentação. Caso a indicação seja aceita, elas permanecem com o trabalho até que o novo habilitado possa iniciar as atividades. “Não queremos deixar a população na mão, pois fizemos amigos”, destaca Maristela.

Em nota, o Daer informou que o candidato indicado não possui empresa, o que o torna inabilitado. “A prefeitura, a partir de agora, também poderá enviar as suas sugestões para que o município não fique desprovido de estação rodoviária”, diz o comunicado. De acordo com a autarquia, o processo está em andamento, portanto sem definição, e, caso o município fique sem a estação, a compra e venda de passagens passa a ser realizada no interior dos veículos e o embarque e desembarque ocorrerá em pontos indicados pela prefeitura. “Se houver habilitado, ele assume com autorização provisória até que seja realizada licitação.” A expectativa do Departamento é que a licitação ocorra ainda em 2018.