Correio do Povo | Notícias | Moradores reclamam de corte de árvores em Estância Velha

Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de Novembro de 2018

  • 24/05/2018
  • 08:32
  • Atualização: 08:50

Moradores reclamam de corte de árvores em Estância Velha

Vegetais foram retirados da avenida Presidente Vargas em ação paisagística

O serviço integra processo de revitalização da Presidente Vargas | Foto: Stephany Sander / Especial / CP

O serviço integra processo de revitalização da Presidente Vargas | Foto: Stephany Sander / Especial / CP

  • Comentários
  • Stephany Sander

Moradores questionam o motivo da retirada de mais de vinte árvores na avenida Presidente Vargas, em Estância Velha. A ação, que começou na semana passada, segue ocorrendo na via, que é o principal acesso ao município. "Esses coqueiros estão aqui há mais de 15 anos, já fazem parte da nossa paisagem. Estão desmatando um dos pontos mais verdes da cidade, sem motivo parente", diz professora Samira Hupes.

De acordo com a Prefeitura de Estância Velha, o serviço faz parte do processo de revitalização da Presidente Vargas. O projeto, coordenado pelas secretarias de Meio Ambiente e Preservação Ecológica e de Obras, visa a valorização paisagística da via com a substituição de espécies vegetais por outras com melhor permeabilidade do solo, com a colocação de árvores nativas, como a quaresmeira e o manacá-da-serra. Conforme a bióloga Karen Romano Krause, apesar de ser um lugar urbanizado e de circulação constante de pessoas e veículos, o projeto quer proporcionar bem-estar e qualidade de vida para toda a comunidade, que será beneficiada por uma paisagem mais natural.

"Os coqueiros da espécie Jerivás, plantados no canteiro há mais de 15 anos, estão sendo removidos e realocados em áreas do município. A remoção da espécie será feita por conta da falta de nutrientes e água no local onde estão plantados, pela ação dos fungos e ausência de estruturas reprodutivas", explica. O projeto também prevê que blocos de concreto do canteiro central da avenida serão substituídos por terra e grama-amendoim com canos protegendo as novas mudas das espécies Acer palmatum; Ipê-amarelo, Manacá-da-Serra e Quaresmeira. "Cerca de 70 mudas serão plantadas ao longo da via", informou a bióloga.