Correio do Povo | Notícias | Pelotas lança estudo para prevenir violência desde a primeira infância

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 18 de Setembro de 2018

  • 04/07/2018
  • 13:16
  • Atualização: 13:31

Pelotas lança estudo para prevenir violência desde a primeira infância

De iniciativa da prefeitura e UFPel, a pesquisa fará o acompanhamento de 440 crianças

O lançamento do Estudo aconteceu nessa terça-feira | Foto: Angélica Silveira / Especial / CP

O lançamento do Estudo aconteceu nessa terça-feira | Foto: Angélica Silveira / Especial / CP

  • Comentários
  • Angélica Silveira

Foi lançado nessa terça-feira o estudo Primeira Infância Acolhida (PIÁ), uma parceria entre a prefeitura e a Universidade Federal de Pelotas (UFPel). A iniciativa faz parte do eixo de prevenção social do Pacto Pelotas pela Paz e prevê o acompanhamento de 440 crianças nascidas no município em 2015 e suas famílias. O Centro de Epidemiologia da Universidade vai analisar as duas metodologias aplicadas, a Conte Comigo e a ACT Criando Crianças Seguras.

O objetivo dos métodos é promover o estreitamento dos vínculos familiares, por meio de leituras dirigidas e compreensão do desenvolvimento infantil em atividades lúdicas, com os pais e na escola. Novas políticas públicas podem ser criadas a partir do resultado das pesquisas já a partir do ano que vem. “Estamos investindo no que sabemos que é importante que é o inicio da vida”, destaca a secretária de Saúde, Ana Costa. Facilitadores do Programa Primeira Infância Melhor passaram por dez dias de formação e as coordenadoras das Escolas Municipais de Educação Infantil, por três dias.

“A proposta é trabalhar com a prevenção da violência antes da repressão”, observa o professor da UFPel, responsável pela pesquisa, Joseph Murray. Ele apresentou as metodologias: a ACT tem o objetivo de ensinar como lidar com emoções e comportamentos e criar ambientes seguros; o Conte Comigo trabalha com crianças com raízes em ambientes seguros e preparadas para o futuro com menos violência e mais paz. A partir da primeira metodologia, os pais são treinados por coordenadores pedagógicos das escolas municipais para compreender o desenvolvimento das crianças e criá-los sem abusos, lidando com dificuldades emocionais e comportamentais.

Já a segunda, utiliza livros de imagens para despertar curiosidade de crianças e desenvolver suas habilidades cognitivas e valores. Os pesquisadores vão monitorar a aplicação das metodologias em quatro grupos de 110 crianças cada.