Correio do Povo | Notícias | Estudo propõe ações contra cheias do Sinos

Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

  • 07/08/2018
  • 08:51
  • Atualização: 09:14

Estudo propõe ações contra cheias do Sinos

Documento foi apresentado em reunião pública na Câmara de Vereadores de Sapucaia do Sul

Levantamento foi apresentado em reunião pública | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

Levantamento foi apresentado em reunião pública | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

  • Comentários
  • Fernanda Bassôa

O estudo sobre alternativas e projetos para minimização do efeito das cheias nas cidades cercadas pela Bacia do Rio dos Sinos, coordenado pela Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan), foi apresentado nesta segunda-feira, em reunião pública na Câmara de Vereadores de Sapucaia do Sul. O levantamento, conforme o superintendente da Metroplan, Pedro Bisch Neto, tem como principal objetivo entender como o fenômeno assola a Região Metropolitana. “O trabalho é focado em proposições, em um conjunto de avaliações e apontamentos. São propostas de soluções. Não é um plano de obras. A partir da simulação de cenários, apontamos quais as consequências danosas das enchentes.” Segundo o superintendente, não existe projeto executivo e a intenção do estudo não é imediatista. “É um assunto para o futuro.”

O engenheiro Lucas Rangel, integrante do consórcio contratado pela Metroplan e responsável pela apresentação, reforçou a finalidade do diagnóstico visando ações de mitigação dos efeitos da chuva e informou que as análises foram baseadas em estudos hidrológicos, mapas de inundações e interferências do Sinos em áreas urbanas. “Entre as soluções estruturais estão a construção de diques e intervenções buscando melhorias nos canais dos arroios.”

Rangel explicou ainda a que a definição da zona de passagem de cheias depende das condições hidráulicas do escoamento. “As zonas de restrição de ocupação e de baixo risco são escolhidas com base no risco que se deseja assumir na convivência com as enchentes. A mitigação está relacionada ao crescimento da ocupação desordenada. É por isso que o estudo foi feito e pensado a partir de uma atuação integrada entre os municípios.”

O estudo levou em consideração especialmente Sapucaia do Sul (arroio José Joaquim), Esteio (arroios Esteio e Sapucaia), Canoas e Nova Santa Rita. Porém, dados sobre a situação de São Leopoldo, Novo Hamburgo, Sapiranga e Portão também foram considerados. O prefeito de Sapucaia, Luis Rogério Link, disse que o município tem muitas áreas ocupadas de forma irregular. “Sabemos da dificuldade de remover famílias da mancha do Sinos e manter esses locais desocupados. O projeto apresentado pela Metroplan é interessante na medida em que traça um diagnóstico para que consigamos resolver a situação das inundações e, no futuro, trabalhar para amenizar as cheias que atingem nossa população mais carente.”