Correio do Povo | Notícias | Hospital de Farroupilha recebe consultoria do Sírio-Libanês

Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de Novembro de 2018

  • 13/08/2018
  • 10:17
  • Atualização: 10:53

Hospital de Farroupilha recebe consultoria do Sírio-Libanês

Profissionais ficarão por cerca de 30 dias na instituição para observar seu funcionamento

O Hospital Beneficente São Carlos tem 108 leitos e passa por crise financeira | Foto: Mirna Messinger / Divulgação / CP

O Hospital Beneficente São Carlos tem 108 leitos e passa por crise financeira | Foto: Mirna Messinger / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Celso Sgorla

Uma equipe do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, está prestando serviço de consultoria ao Hospital Beneficente São Carlos, de Farroupilha. Dois profissionais ficarão por cerca de 30 dias na casa de saúde para observar seu funcionamento e, ao fim do processo, apontar medidas que possam ser adotadas para melhorar o trabalho na instituição. Em caso de necessidade, ao longo do processo de diagnóstico, mais membros da equipe do hospital paulistano podem vir ao Estado para auxiliar na análise.

De acordo com o gerente de consultoria do Hospital Sírio Libanês, Bruno Barreto, o objetivo é realizar este diagnóstico a partir de quatro pilares: o primeiro é focado em entender a instituição, como o seu perfil; o segundo, em fazer uma análise econômico-financeiro; o terceiro, na operação; e, por último, na gestão. “Assim, a gente consegue, de certa forma, tirar um retrato da instituição e avaliar possíveis oportunidades”, salientou.

A realização da consultoria ocorre por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS), parceria entre o Ministério da Saúde e hospitais filantrópicos de excelência, como o Sírio-Libanês, na busca pela melhora do atendimento de saúde pública. Conforme a diretora do Hospital São Carlos, Janete Toigo, a consultoria tem o objetivo de melhorar a gestão. Ela informa que a dívida do São Carlos já chegou aos R$ 9 milhões no início de 2017 e quase fechou as portas no fim do ano passado.

Atualmente, a dívida está em cerca de R$ 1,6 milhão. Conforme Janete, hoje, o déficit mensal está em torno de R$ 500 mil, por conta de dois empréstimos que estão sendo pagos. “A sociedade, através das entidades empresariais e de iniciativas da própria comunidade, foram fundamentais para começar a reverter o quadro de grave crise do hospital.” O hospital conta com 108 leitos e a ociosidade é de 40%, por isso, estão sendo buscadas alternativas para aumentar a receita, como buscar junto ao Ministério da Saúde a habilitação do São Carlos para prestar atendimentos em alta complexidade no SUS.