Correio do Povo | Notícias | Municipários de Cachoeirinha pedem afastamento de dois gestores do Instituto de Previdência

Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 25 de Setembro de 2018

  • 27/08/2018
  • 16:51
  • Atualização: 20:15

Municipários de Cachoeirinha pedem afastamento de dois gestores do Instituto de Previdência

Ministério Público descartou qualquer indício de irregularidade

  • Comentários
  • Fernanda Bassôa

Mesmo após o Ministério Público ter descartado qualquer indício de irregularidade que pudesse ensejar abertura de inquérito ou investigação envolvendo gestores do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Cachoeirinha (IPREC), os servidores decidiram pelo afastamento de dois deles em assembleia realizada pelo Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha (Simca) na semana passada.

A alegação da categoria é que ambos cooperam “para o calote do governo no repasse das contribuições e para o crescimento desenfreado da dívida patronal.” Além disso, entre as proposições, decidiu-se pela alteração na lei da autarquia, garantindo uma gestão democrática e sem interferência de indicações políticas.

Nesta terça-feira os municipários fazem uma vigília em frente ao prédio do Instituto, a partir das 9h, seguida de reunião do Conselho Administrativo. Novas denúncias sobre supostas irregularidades e omissões na autarquia foram encaminhadas ao Ministério Público de Contas na última sexta-feira. “Aprovamos o pedido de investigação, agora levando as denúncias ao Ministério Público de Contas, e a ampliação de uma gestão mais transparente e democrática, através de presidente eleito pela categoria, e o fim de intervenções políticas e benefícios (jetons)”, disse o presidente do Simca e integrante do Conselho Administrativo do IPREC, Manoel Araújo Neto.

O presidente do IPREC, Sérgio Duarte, informou que as contas foram todas aprovadas pelo Tribunal de Contas, até 2017. “O problema todo é com a dívida que o governo municipal tem com o Instituto e com a questão do parcelamento, que foge da nossa autonomia. O resto é tudo bobagem.” A diretora administrativa do IPREC, Bianca Breier, que também tem pedido de afastamento apontado pela categoria, disse que tratam-se de declarações e acusações infundadas e que todos esclarecimentos foram feitos ao Conselho Fiscal, inclusive com entrega de documentos. Bianca garante que nunca se envolveu em desvios ou promoveu danos materiais e patrimoniais.

O vice-prefeito, Maurício Medeiros, informou nesta segunda-feira que o Executivo municipal não recebeu nenhum pedido oficial do sindicato sobre afastamento e afirmou também não ver motivos para essa medida. Ele disse ainda que será feita auditoria no Instituto, pois “é obrigação da prefeitura fiscalizar”.