Correio do Povo | Notícias | Consultas eletivas pelo SUS sofrem redução em hospital de Cruz Alta

Porto Alegre

31ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 11 de Dezembro de 2018

  • 29/08/2018
  • 08:43
  • Atualização: 08:48

Consultas eletivas pelo SUS sofrem redução em hospital de Cruz Alta

Traumatologistas do São Vicente de Paulo reivindicam pagamentos em atraso há seis meses

  • Comentários
  • Felipe Dorneles

Consultas eletivas de Traumatologia de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) tiveram redução significativa no mês de agosto em Cruz Alta. Traumatologistas do Hospital São Vicente de Paulo reivindicam o pagamento dos serviços, em atraso há seis meses. Médico dessa especialidade, Rogério Kipper Picada revela que uma equipe de sete profissionais atua nas consultas eletivas na área. Em agosto, segundo ele, foram feitas 120, enquanto o normal mensal são 500 atendimentos.

“Fizemos todo o atendimento de urgência e emergência, acompanhamento de pacientes com traumas e em processo pós-cirúrgico. Porém, reduzimos as consultas eletivas, que não são de urgência, por não recebermos pelo serviço”, explica ele. Osvaldo Barcelos, delegado do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) em Cruz Alta, diz que em reunião na noite de segunda-feira foi garantida a continuidade do atendimento de urgência e emergência e de forma parcial o das consultas eletivas. “O setor jurídico do sindicato está em negociação com o hospital”, informa. A categoria espera que nesta semana a pendência seja resolvida.

Em nota, a direção do Hospital São Vicente de Paulo admite o atraso de até seis meses no pagamento de médicos de alguns setores e informa que o atendimento de algumas especialidades está reduzido. Confirma ainda atraso no pagamento de outras categorias e de fornecedores. A justificativa é uma crise financeira. A instituição destaca que atende mais de 85% dos usuários via SUS, de 13 municípios, e que, para isso, depende de repasses financeiros. Além do atraso de recursos, teve incentivos cancelados, e a tabela SUS está sem atualização há mais de 10 anos. Por isso, o hospital precisou realizar financiamentos com instituição bancárias e, nos últimos 12 meses, já pagou R$ 7,5 milhões em juros. A nota destaca que o Conselho Gestor está em busca de medidas para contratações com juros mais baixos. Além disso, a equipe segue na captação de recursos para amenizar a crise.

A Secretaria Estadual da Saúde informou em nota que está em aberto somente o pagamento dos incentivos estaduais do mês de junho. “Todos os valores referentes ao atendimento de média e alta complexidade estão em dia”. Destaca ainda que não houve corte de verbas e que está tramitando um estudo de aumento do valor do contrato com o hospital. 


TAGS » Hospital, SUS, Cruz Alta