Correio do Povo | Notícias | Santa Cruz do Sul implantará tecnologia de reconhecimento facial no Lago Dourado

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

  • 12/09/2018
  • 13:30
  • Atualização: 13:40

Santa Cruz do Sul implantará tecnologia de reconhecimento facial no Lago Dourado

O objetivo é prevenir crimes na área onde uma jovem de 24 anos foi encontrada morta

A área é usada para lazer e prática de esportes | Foto: Bruno Pedry / Gazeta do Sul / CP

A área é usada para lazer e prática de esportes | Foto: Bruno Pedry / Gazeta do Sul / CP

  • Comentários
  • Otto Tesche

A área do Lago Dourado, em Santa Cruz do Sul, receberá um projeto-piloto de reconhecimento facial com o objetivo de coibir e identificar comportamentos suspeitos no espaço público. Com autorização da prefeitura, a empresa Kopp Tecnologia instalará os equipamentos que podem ajudar na prevenção de crimes contra o patrimônio público e, especialmente, contra pessoas.

Conforme a empresa, o sistema é procedente de Israel e tem tecnologia semelhante à utilizada na Copa do Mundo no Brasil. Inicialmente sem custos para o município, o aparelho será implantado no Lago Dourado e em outros pontos da cidade. O secretário de Segurança, Henrique Hermany, informou que o monitoramento estará vinculado a todos os órgãos de segurança. “Vamos avançar nesse projeto, discutindo com as demais forças de segurança e, em especial, com Brigada Militar e Polícia Civil, sobre como a tecnologia poderá agregar ao videomonitoramento já existente.” Termo de parceria será assinado entre prefeitura e Kopp Tecnologia e a previsão é de que a implantação ocorra em 60 dias.

Embora sem registro de casos de violência antes no local, no dia 13 de agosto, Francine Ribeiro Rocha, 24 anos, foi encontrada morta por familiares, amarrada em uma árvore por um dos braços, em um matagal de difícil acesso, a cerca de 400 metros da pista que contorna o Lago Dourado. Ela estava desaparecida desde o dia anterior, quando saiu de Vera Cruz para caminhar no espaço. A Polícia Civil prendeu no dia 24 de agosto Jair Menezes Rosa, 58 anos, acusado pelo crime. A Justiça acolheu nesta semana a denúncia encaminhada pelo Ministério Público contra o suspeito.