Correio do Povo | Notícias | Área para transbordo de lixo incomoda moradores do bairro Novo Esteio

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 19 de Janeiro de 2019

  • 10/01/2019
  • 11:51
  • Atualização: 12:08

Área para transbordo de lixo incomoda moradores do bairro Novo Esteio

Local deveria receber apenas resíduos secos, mas há descarte irregular de outros materiais

A reclamação é em relação ao mau cheiro e ratos e baratas e que surgem | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

A reclamação é em relação ao mau cheiro e ratos e baratas e que surgem | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

  • Comentários
  • Fernanda Bassôa

Uma área pública, a céu aberto, localizada no final da avenida Rio Branco, esquina com a rua Monteiro Lobato, no bairro Novo Esteio, tem sido alvo de constantes reclamações de famílias que vivem no entorno. Usado pela prefeitura como local de transbordo de materiais secos – restos de materiais de construção, podas de árvores, corte de grama, pedaços de pau –, onde é feita a triagem e separação correta pelos servidores, o terreno também recebe descarte irregular de lixo doméstico, animais mortos, dentre outros materiais.

Morador do bairro, o vendedor Manoel Jorge Dias da Hora, 59 anos, diz que a polêmica envolvendo a área é antiga. “A ideia da prefeitura era criar uma Usina de Reciclagem de lixo. Da mesma forma, fomos contra, porque estamos falando de muito lixo e isso atrai ratos e baratas, além do cheiro forte e insuportável.” Segundo o vendedor, o desejo da comunidade é de que o local seja transformado em uma área de lazer, disponível a todos, organizada e segura.

O secretário de Obras de Esteio, Leomar Nestor Teichmann, explica que todos os dias saem da área de transbordo cargas para São Leopoldo e Gravataí, onde é feita a destinação correta aos materiais. “A área no Novo Esteio funciona há cerca de 12 meses. Nos próximos 15 dias o local deverá receber cercamento, evitando que pessoas descartem, de forma irregular, especialmente nos finais de semana, sacos com lixo doméstico, fraldas e animais mortos.”

Teichmann comenta que os entulhos dos dez contêineres (chamados de ecopontos), que ficam espalhados pela cidade, são descartados ali pelos caminhões da prefeitura. “Se a população tomasse consciência e descartasse de forma correta seu lixo e resíduos, seria economizado tempo e dinheiro.” O secretário pontua que qualquer pessoa pode ir até o local de transbordo e descartar até 1 metro cúbico de resíduo. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h.