Correio do Povo | Notícias | Passa de 2 mil o número de pessoas fora de casa na Fronteira-Oeste

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 19 de Janeiro de 2019

  • 11/01/2019
  • 18:02
  • Atualização: 19:18

Passa de 2 mil o número de pessoas fora de casa na Fronteira-Oeste

Trecho da BR 290, em Alegrete, foi interditado devido a alagamento na pista

PRF interditou trecho em Alegrete devido a alagamento na BR 290 | Foto: Polícia Rodoviária Federal / Divulgação / CP

PRF interditou trecho em Alegrete devido a alagamento na BR 290 | Foto: Polícia Rodoviária Federal / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O número de pessoas fora de casa, atingidas pelo temporal, subiu de 1,6 mil para 2.081, conforme divulgou a Defesa Civil no fim da tarde desta sexta-feira. O último boletim apresentou o aumento considerativo de desabrigados que passou de 399 para 604, e de desalojados que foi de 1208 pessoas para 1.477.

A atualização incluiu Rosário do Sul na lista de municípios afetados com estragos causados pela chuva. As outras cidades atingidas são Bagé, Dom Pedrito, Jaguari, Pedro Osório, Quarai, São Borja, São Gabriel, São Francisco de Assis, Uruguaiana e Alegrete, que tem a pior situação.

Pista interditada em Alegrete 

Em Alegrete, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) interditou o km 578, na BR 290, na tarde desta sexta-feira, em decorrência de um alagamento na pista em função da alta quantidade de chuva e consequência do nível do rio Ibirapuitã seguir subindo. Segundo os agentes, não há previsão de liberação do trecho. A alternativa para o trânsito na BR 290 é desviar na extensão de um quilômetro no km 578. O motorista pode pegar o desvio de 1,5 quilômetro por dentro de Alegrete, entre o trevo do Caverá e a entrada da Vila Nova Brasília.

A prefeitura de Alegrete avaliou os prejuízos causados pelos temporais e enchentes que afetaram o município durante esta semana, estimando que o valor ultrapassa os R$ 10 milhões. O setor de Infraestrutura projeta prejuízos de R$ 8,5 milhões com as estradas, calçamento danificado e dois pontilhões avariados no interior do município. Somente na área de saúde, a conta chega a R$ 3 milhões.