Correio do Povo | Notícias | Anfavea volta a revisar para baixo projeções para setor automotivo

Porto Alegre

27ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de Novembro de 2018

  • 06/10/2015
  • 12:49
  • Atualização: 12:58

Anfavea volta a revisar para baixo projeções para setor automotivo

Entidade espera queda de 27,4% nas vendas totais de automóveis em 2015

Anfavea volta a revisar para baixo projeções para setor automotivo  | Foto: João Alves / Divulgação /  CP

Anfavea volta a revisar para baixo projeções para setor automotivo | Foto: João Alves / Divulgação / CP

  • Comentários
  • AE

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) anunciou nesta terça-feira, uma nova revisão para baixo de suas projeções para produção e vendas de veículos novos em 2015 ante 2014. Foi a terceira revisão feita pela entidade somente este ano.

A associação espera agora que a venda total de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus novos totalize 2,540 milhões de unidades em 2015, volume 27,4% menor do que as 3,498 milhões vendidas em 2014. Até então, a entidade previa queda de 20,6% nos emplacamentos em 2015 ante 2014.

Essa queda será puxada principalmente pela retração de 45,4% projetada pela Anfavea para a venda de veículos pesados (caminhões e ônibus). A nova previsão é pior do que o recuo de 41% previsto até então pela associação. Para automóveis e comerciais leves, a entidade prevê agora recuo de 26,5%, estimativa mais pessimista do que o recuo de 19,5% projetado antes.

De acordo com o presidente da Anfavea, Luiz Moan, as projeções foram baseadas nas médias diárias de vendas de veículos novos realizadas entre julho e setembro deste ano. "Ou seja, para que as previsões se concretizem, as vendas devem ficar estáveis entre outubro e dezembro", destacou.

Produção

Com a retração prevista para os emplacamentos, a Anfavea passou a projetar que a produção total de veículos vai totalizar 2,418 milhões de unidades neste ano, o equivalente a tombo de 23,2% na comparação com as 3,146 milhões produzidas em 2014. Até então, a associação previa recuo de 17,8% na fabricação de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no período.

Essa queda na produção será pressionada, sobretudo, pela retração de 41,4% prevista pela Anfavea para fabricação de veículos pesados neste ano, projeção pior do que o recuo de 32% estimado até então. Para o segmento de leves, a entidade prevê agora recuo de 22,1% na produção, retração maior do que a queda de 17% projetada até então.

Exportação

A entidade também revisou suas projeções para exportações de veículos. Espera agora que sejam vendidos para fora do Brasil 375 mil veículos, alta de 12,2% ante as 334 mil exportadas em 2014. Até então, a Anfavea esperava crescimento de apenas 1,1% nas exportações em 2015 ante o ano passado.

Máquinas agrícolas

A associação anunciou ainda revisão para baixo das estimativas para o segmento de máquinas agrícolas e rodoviárias. Prevê agora que serão produzidas 57,8 mil máquinas, o equivalente a queda de 29,8% em relação as 82,3 mil fabricadas no ano passado. A projeção é mais pessimista do que a queda de 16% prevista até o mês passado.

Para as vendas internas de máquinas agrícolas, a Anfavea revisou sua projeção de queda de 19,4% para tombo de 32% em 2015. Segundo previsão da entidade, deverão ser vendidas 46,6 mil unidades, ante 68,6 mil vendidas no ano passado. A associação também revisou a projeção para exportações de máquinas para queda de 26,2%, ante previsão de alta de 1%.

Empregos

Nesta terça-feira, a Anfavea informou pela manhã que a indústria automobilística eliminou 742 vagas em setembro. Após as recentes demissões, o setor encerrou o nono mês do ano com 133.609 empregados, queda de 0,6% na comparação com agosto e recuo de 9,6% ante o mesmo mês do ano passado. Com o resultado, a indústria automotiva já demitiu 10,9 mil empregados em 2015.

Apenas o segmento de autoveículos registrou retração de 0,6% no número de empregados em setembro na comparação mensal, ao totalizar 117.669 funcionários. Em relação a setembro do ano passado, a queda foi de 8,3%. Já o segmento de máquinas agrícolas teve recuo de 0,5% no número de empregados ante agosto e de 18,2% na variação anual, para 15.940 funcionários.

Veículos flex

A associação também informou que a fatia de automóveis e veículos comerciais leves biocombustíveis (flex) ficou em 88,1% em setembro, patamar abaixo do verificado em agosto (88,9%) e igual ao verificado em setembro do ano passado (88,1%). Ao todo, os veículos flex somaram 169.869 unidades no nono mês do ano.

Estoques

O estoque total de veículos nos pátios das concessionárias e das montadoras caiu de 357,8 mil unidades em agosto para 346,9 mil unidades em setembro, conforme a Anfavea. No nono mês de 2015, o estoque total era suficiente para 52 dias de vendas, ante 53 dias em agosto (considerando o ritmo de vendas de setembro). O setor considera ideal um estoque equivalente a 30 dias de vendas.

A maior parte do estoque de veículos até setembro deste ano continuava concentrada nas concessionárias, onde havia 214,2 mil veículos encalhados (equivalente a 32 dias de vendas), número maior do que as 207,9 mil unidades estocadas até agosto nas lojas (31 dias). Já nas fábricas, o estoque de veículos até o mês passado era de 132,7 mil veículos (20 dias), menor do que as 149,9 mil unidades estocadas até agosto, equivalente a 22 dias de vendas.