Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

  • 07/12/2017
  • 08:50
  • Atualização: 09:01

Bitcoin supera pela primeira vez os 15 mil dólares

Moeda virtual recebeu notoriedade após grupo americano CMW anunciar uso no futuro

Moeda virtual recebeu notoriedade após grupo americano CMW anunciar uso no futuro | Foto: Karen Bleier / AFP / CP

Moeda virtual recebeu notoriedade após grupo americano CMW anunciar uso no futuro | Foto: Karen Bleier / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O preço do bitcoin prosseguia sua disparada nesta quinta-feira e superou pela primeira vez na história a barreira dos 15 mil dólares, registrando um aumento de mais de 50% em uma semana. A moeda virtual atingiu a marca de 15.075,02 dólares, novo recorde histórico, às 10H05 GMT (8H05 de Brasília), antes de recuar levemente, de acordo com a

agência Bloomberg.

Em meados de outubro, o bitcoin ainda registrava cotação de 5 mil dólares, enquanto no início do ano era negociado a mil dólares. O bitcoin ganhou força no mês passado, quando o grupo americano CMW, um dos mais poderosos agentes bursáteis do mundo, anunciou o lançamento de contratos nesta moeda no mercado futuro. Este anúncio disparou seu valor, pois a quantidade de Bitcoins em circulação é limitada. Sua capitalização total chegou a 180 bilhões de dólares, segundo o site coinmarketcap.com, especializado em capitalizações de criptomoedas em bolsa. Para termos comparativos, a Coca Cola tem um valor estimado em 195 bilhões de dólares.

O bitcoin, uma moeda virtual que valia centavos em 2009, quando foi lançada, apoia-se em um sistema de pagamento entre pessoas P2P baseado em uma tecnologia denominada "blockchain". A moeda virtual não tem um marco legal e não é regida por um Banco Central, ou por um governo, mas por uma grande comunidade internacional, e é aceita em um número crescente de transações (restaurantes, setor imobiliário, etc.). Mas já recebeu críticas de vários economistas renomados recentemente, como os vencedores do prêmio Nobel Joseph Stiglitz e Jean Tirole, que afirmaram

que a explosão do bitcoin parece uma "bolha especulativa" que pode "implodir".