Correio do Povo | Notícias | Bitcoin alcança 18 mil dólares em sua estreia no mercado futuro

Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de Novembro de 2018

  • 11/12/2017
  • 08:07
  • Atualização: 08:20

Bitcoin alcança 18 mil dólares em sua estreia no mercado futuro

Instrumentos constituem primeira oportunidade oficial para investidores profissionais de investir na moeda

Bitcoin alcança US$ 18.000 em sua estreia no mercado futuro | Foto: Karen Bleirer / AFP / CP

Bitcoin alcança US$ 18.000 em sua estreia no mercado futuro | Foto: Karen Bleirer / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O bitcoin, a polêmica moeda virtual, fez no domingo uma estreia triunfal no mercado financeiro internacional, superando sem dificuldade os 18 mil dólares por unidade e aumentando a inquietação de alguns investidores com o risco  de uma bolha. Sob o símbolo "XBT" e com um preço de 15 mil dólares, um dos primeiros produtos financeiros que permitem apostar sobre a cotação futura da moeda virtual estreou às 23h (21h de Brasília) de domingo na Chicago board options exchange (Cboe), uma das duas plataformas de negociação deste tipo de contratos nos Estados Unidos.

Começou com volatilidade e um forte tráfego, que tornou inacessível o site da Cboe durante os primeiros 20 minutos. A direção da plataforma, no entanto, informou que as operações não foram afetadas e devem encerrar a primeira jornada nesta segunda-feira às 21h15min GMT (19h15min de Brasília). Às 3h20min (1h20min de Brasília), a moeda virtual era negociada a 17.750 dólares por unidade para o contrato futuro previsto para 17 de janeiro, superando assim o valor máximo registrado nas plataformas alternativas da internet onde era negociada até agora sem qualquer regulamentação. Na Cboe chegou a registra cotação de 18.010 dólares.

Um contrato futuro é um produto financeiro que permite aos investidores apostar sobre a evolução de uma moeda, ou seja, se o preço vai subir ou cair. Estes instrumentos constituem a primeira oportunidade oficial para os investidores profissionais de investir no bitcoin, criado em 2009 e do qual muitos desconfiam pela ausência de regulamentação e falta de transparência, que transformaram a moeda virtual em um ativo popular entre criminosos e traficantes que desejam lavar dinheiro.

A Cboe "dá legitimidade porque reconhece que o bitcoin é um ativo como qualquer outro (dólar, euro, petróleo, gás, soja) que pode ser negociado", explica Nick Colas, analista da Data Trek Research.  A estreia da moeda virtual em um grande mercado internacional foi "bastante tranquila e estável", disse o diretor de contratos futuros da Wedbusch Securities, Bob Fitzsimmons. 

Nas primeiras quatro horas e meia foram registradas 1.694 operações, informou a Cboe. "As negociações acontecem de acordo com o previsto", explicou a plataforma. As negociações são exclusivamente eletrônicas. Sem existência física, o bitcoin apoia-se em um sistema de pagamento entre pessoas P2P baseado em uma tecnologia denominada "blockchain". A moeda virtual divide os economistas, grandes instituições financeiras e investidores, mas encontrou eco em países excluídos do sistema financeiro americano, como a Venezuela, ou com uma inflação e deflação elevadas.

O entusiasmo chegou recentemente aos países ocidentais, onde as ações das empresas cotadas são muito caras, o que empurra alguns investidores e pequenos correntistas a buscar outros produtos financeiros. Mas para Jamie Dimon, diretor executivo do banco americano JPMorgan Chase, o instrumento é uma "fraude". E uma "bolha especulativa" que provavelmente vai "implodir", na opinião dos vencedores do Prêmio Nobel de Economia Joseph Stiglitz e Jean Tirolle.


TAGS » Economia, Moeda, Bitcoin