Correio do Povo | Notícias | LDO prevê redução de 10,4% em investimentos para 2018 em Porto Alegre

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 23 de Setembro de 2018

  • 22/08/2017
  • 12:57
  • Atualização: 13:06

LDO prevê redução de 10,4% em investimentos para 2018 em Porto Alegre

Prefeitura afirma que limitações se dão pelo atual panorama de dificuldades financeiras do município

Prefeitura afirma que limitações se dão pelo atual panorama de dificuldades financeiras do município | Foto: Joel Vargas / PMPA / CP memória

Prefeitura afirma que limitações se dão pelo atual panorama de dificuldades financeiras do município | Foto: Joel Vargas / PMPA / CP memória

  • Comentários
  • Mauren Xavier

A Prefeitura de Porto Alegre projeta redução de 10,4% em investimento para 2018, conforme a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O secretário de Planejamento e Gestão, José Alfredo Parode, explicou que as limitações se dão pelo atual panorama de dificuldades financeiras da prefeitura. Em 2017 estava previsto no orçamento o valor de R$ 618,7 milhões para investimentos, já para 2018, o projetado será de R$ 554,3 milhões, formado principalmente por financiamentos, convênios e recursos já vinculados.

Na apresentação realizada aos vereadores da Comissão de Economia, Finanças, Orçamento e do Mercosul, o secretário enalteceu o déficit previsto para o próximo ano. Segundo as projeções, as receitas totais deverão ter redução de 6,6%, enquanto que as despesas vão aumentar 3,5% no próximo ano. Assim, ao equiparar os dois, o orçamento deve ser de R$ 7,191 bilhões, porém, com déficit de R$ 701 milhões.

Para cobrir essa diferença nas despesas o governo municipal tem algumas apostas. Uma delas é o projeto de revisão do IPTU, que se aprovado na Câmara, representará elevação da receita. Outa medida é a busca de financiamentos e de Parcerias Público-Privadas (PPPs). Ao todo, a estimativa da receita tributária é de R$ 2,17 bilhões e de transferências correntes de mais de R$ 2,32 bilhões. As operações de crédito poderão atingir R$ 228,13 milhões.

Parode explicou que na área de despesas o maior impacto é o crescimento vegetativo da folha, que sozinho representa aumento de 3%. Além disso, a prefeitura deverá tentar reduzir as chamadas inversões financeiras, que representam valores repassados à estatais, que terá um aumento de 129,4% em 2018.

Parode apontou que o principal destino dos R$ 114,7 milhões das inversões será a Carris. “É preciso que as empresas, neste caso a Carris, busquem o equilíbrio financeiro”, disse. A Lei de Diretrizes também prevê que a amortização da dívida chega a R$ 215,51 milhões.

Segundo o secretário da Fazenda, Leonardo Busatto, a proposta é um diagnóstico real das finanças do município, e que vinha sendo “escondido” desde 2015. “Esse é o retrato atual das finanças do município. A LDO é totalmente realista, considera todas as despesas que ainda temos contratadas e as receitas previstas. Não incluímos nenhuma receita extraordinária para esconder o déficit das contas. Ele já existia em 2016 e 2015, mas foi sendo resolvido com medidas paliativas que não melhoraram as finanças do município”, afirmou o secretário, em entrevista à Rádio Guaíba nesta terça-feira.

O projeto da LDO foi encaminhado na segunda-feira pela Prefeitura e deverá ser votado pelos vereadores e sacionado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior até o dia 10 de outubro. O prazo deve cumprido para que a Prefeitura apresente à Câmara o texto do Orçamento de 2018 até dia 15 de outubro, como previsto na legislação.