Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

  • 13/09/2017
  • 13:26
  • Atualização: 13:54

PIB gaúcho cresce 2,1% no primeiro semestre

Grande responsável pelo desempenho foi a agricultura

Resultados foram apresentados na manhã desta quarta-feira | Foto: Guilherme Testa

Resultados foram apresentados na manhã desta quarta-feira | Foto: Guilherme Testa

  • Comentários
  • Mauren Xavier

O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul voltou a apresentar um resultado positivo. No primeiro semestre de 2017, a economia acumulou 2,1%. Neste momento período, o país ficou com resultado nulo. O grande responsável pelo desempenho foi a agricultura, que puxou positivamente os números, com crescimento de 11,7%. Na indústria, que teve desempenho de -0,7%, o destaque positivo foi o segmento de transformação, que atingiu +1,9% de resultado. Em serviço, que totalizou aumento de 0,3%, o comércio atingiu 1,3%, sendo o com melhor desempenho.

No segundo semestre de 2017, porém, para o RS manter o bom resultado dependerá principalmente dos segmentos de indústria e serviços, como apontam os economistas da Fundação de Economia e Estatística (FEE). No que se refere à agricultura, a soja acumulou o maior crescimento com 15,7%, ao mesmo tempo que a mandioca teve redução de 4,1%, especialmente em função da diminuição da área de plantio. Em relação ao segmento de serviços, o comércio acumulou aumento de 2,9% no Estado, com destaque para o aumento nas vendas de veículos, motocicletas, parte e peças, com 15,1%. Ao mesmo tempo, os móveis tiveram queda de 8,8%.

Segundo o coordenador do núcleo de contas regionais da FEE, Roberto Rocha, no segundo trimestre de 2017, o PIB teve crescimento de 2,5% na comparação com o mesmo período do ano passado. O desempenho também é puxado pelo agropecuária, que teve aumento de 7,9% na comparação com o mesmo período de 2016. Porém, o resultado é bem inferior ao atingido no país, que foi de 14,9%. “É uma consideração relevante diante da safra excepcional que o país teve neste ano”, afirmou o coordenador.

Rocha apontou ainda que o resultado pode estar associado à recuperação da indústria de transformação, influenciada pela exportação; e ao desempenho do comércio, impactado pelo aumento de renda, liberação de saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e estabilização da taxa de desemprego. Em dados, neste segundo semestre de 2017, a indústria registrou queda de 0,3%, que foi mais leve do que o resultado do Brasil, com retração de -2,1%. O setor de serviço teve leve alta, com 0,5% neste segundo semestre de 2017, na comparação com 2017.

Na divulgação realizada na sede da FEE, o economista Renan Xavier apresentou ainda uma nova ferramenta para visualização e análise dos dados relacionados à economia. O PIBVIS permite a compreensão de comportamentos e de cruzamento de dados da economia gaúcha. O material está disponível no link.

Acumulado no semestre de 2017, conforme dados da FEE:

PIB - 2,1% (RS), 0,0 (Brasil)

Agropecuária - 11,7% (RS), 15,0% (Brasil)

Indústria - -0,7% (RS), -1,6% (Brasil)

Serviços - 0,3% (RS), -1,0% (Brasil)

Impostos- 0,9% (RS), -0,3% (Brasil)

Segundo trimestre de 2017, conforme dados da FEE:

PIB - 2,5% (RS), 0,3 (Brasil)

Agropecuária- 7,9% (RS), 14,9% (Brasil)

Indústria - -0,3% (RS), -2,1% (Brasil)

Serviços - 0,5% (RS), -0,3% (Brasil)

Impostos - 3,4%(RS), 0,1% (Brasil)