Correio do Povo | Notícias | Inflação oficial cai para 0,29% em janeiro

Porto Alegre

11ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 26 de Maio de 2018

  • 08/02/2018
  • 09:38
  • Atualização: 10:14

Inflação oficial cai para 0,29% em janeiro

Índice é o mais baixo para o mês desde o início do Plano Real, em 1994

Em dezembro de 2017, taxa havia sido de 0,44% | Foto: Marcos Santos / USP Imagens / CP

Em dezembro de 2017, taxa havia sido de 0,44% | Foto: Marcos Santos / USP Imagens / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, ficou em 0,29% em janeiro deste ano. Em dezembro de 2017, a taxa havia sido de 0,44%. Já em janeiro de 2017, foi de 0,38%.

Essa é a inflação mais baixa para os meses de janeiro desde o início do Plano Real, em 1994. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado dos últimos doze meses, o índice desceu para 2,86%, ficando abaixo dos 2,95% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2017 a taxa foi 0,38%.

Com exceção dos grupos Habitação (-0,85%) e Vestuário (-0,98%), os demais apresentaram variação positiva, com destaque para os Transportes (1,10%), maior variação dentre os grupos de produtos e serviços pesquisados, e Alimentação e bebidas (0,74%).

No grupo Transportes, o destaque ficou com os combustíveis que variaram 2,58%. A gasolina (2,44%), maior impacto individual no índice do mês, contribuiu com 0,10 p.p. ficando as variações entre 6,33% em Belo Horizonte e -1,68% em Brasília. Já o etanol ficou, em média, 3,55% mais caro sendo, novamente, Belo Horizonte a região com maior alta (9,08%).

Apesar de ter apresentado a mais elevada variação entre os grupos, os Transportes tiveram desaceleração na taxa de crescimento de preços de dezembro para janeiro, ao passar de 1,23% para 1,10%. Isto se deve, principalmente, às passagens aéreas, que da alta de 22,28% de dezembro passaram para queda de 1,35% em janeiro, e o conserto de automóvel (de -0,29% para -0,74%).

Por outro lado, o grupo Alimentação e Bebidas acelerou de dezembro para janeiro, ao passar de 0,54% para 0,74%. A alimentação para consumo em casa passou de 0,42% para 1,12% e a alimentação consumida fora de casa foi de 0,74% para 0,06%.

Nos alimentos sobressaem as altas do tomate (45,71%) e da batata-inglesa (10,85%). As principais variações nos alimentos encontram-se nas tabelas a seguir.

No grupo Habitação, a queda de 0,85% foi impulsionada pelas contas de energia elétrica, que ficaram, em média, 4,73% mais baratas e constituíram-se no principal impacto para baixo (-0,17 p.p.). Isto se deve ao fim da cobrança do adicional de R$ 0,03 por cada kwh consumido referente a bandeira tarifaria vermelha patamar 1 que vigorava em dezembro. Aliado a isso, houve redução na alíquota de PIS/Cofins em algumas das regiões pesquisadas.

Das treze regiões pesquisadas somente em Porto Alegre foi registrada alta na energia elétrica (5%), onde houve reajuste de 29,60% em uma das concessionárias, em vigor desde 21 de dezembro. Nas demais regiões, as variações oscilaram entre -8,03% em Belém e -0,39% em Vitória.

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília. Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 29 de dezembro de 2017 a 29 de janeiro 2018 (referência) com os preços vigentes no período de 30 de novembro a 28 de dezembro de 2017 (base).

INPC varia 0,23% em janeiro

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor - INPC apresentou variação de 0,23% em janeiro e ficou 0,03 p.p. abaixo da taxa de 0,26% de dezembro, constituindo-se na menor taxa para um mês de janeiro desde a implantação do Plano Real. No acumulado dos últimos 12 meses, o índice desceu para 1,87%, ficando abaixo dos 2,07% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2017, o INPC registrou 0,42%.

Os produtos alimentícios tiveram alta de 0,76% em janeiro, enquanto no mês anterior registraram 0,43%. O agrupamento dos não alimentícios não apresentou variação enquanto, em dezembro, havia registrado alta de 0,19%.

O INPC é calculado pelo IBGE desde 1979, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 05 salários mínimos, sendo o chefe assalariado, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília. Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 29 de dezembro de 2017 a 29 de janeiro 2018 (referência) com os preços vigentes no período de 30 de novembro a 28 de dezembro de 2017 (base).