Correio do Povo | Notícias | Crise entre EUA e Turquia faz dólar subir mais de 1,5%

Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 20 de Novembro de 2018

  • 13/08/2018
  • 15:52
  • Atualização: 15:54

Crise entre EUA e Turquia faz dólar subir mais de 1,5%

Moeda norte-americana estava cotada a R$ 3,925 para a venda na taxa de câmbio comercial

Moeda norte-americana estava cotada a R$ 3,925 para a venda na taxa de câmbio comercial | Foto: AFP / CP

Moeda norte-americana estava cotada a R$ 3,925 para a venda na taxa de câmbio comercial | Foto: AFP / CP

  • Comentários
  • Thais Skodowski / R7

* Com informações da Agência Brasil e EFE 

O dólar está em alta nesta segunda-feira, refletindo a crise na Turquia e a perspectiva das eleições no Brasil. No mercado de câmbio, o dólar abriu em alta de 0,62%, cotado a R$ 3,888 para a venda na taxa de câmbio comercial. Às 14h, subiu 1,57%, cotado para venda a R$ 3,925.

O Ibovespa, índice da Bolsa de Valores de São Paulo, abriu nesta segunda-feira em baixa de 0,33%, aos 76.265 pontos. Por volta das 14h, estava em alta de 0,04%, com 76.541,28 pontos.

O Banco Central da Turquia (TCMB) anunciou nesta segunda-feira a injeção de US$ 6 bilhões no sistema financeiro do país para garantir a liquidez dos bancos e interromper a queda da lira turca em relação ao dólar.

Em comunicado, o TCMB informou que reduziu os limites de reservas de divisas permitidas aos bancos turcos para assim retirar liras do mercado, dar liquidez ao sistema e estabilizar o valor da moeda. "Com esta revisão, serão injetados no sistema financeiro aproximadamente 10 bilhões de liras (US$ 6 bilhões) e US$ 3 bilhões em liquidez equivalente ao ouro", afirmou a entidade na nota, divulgada em seu site.

O mecanismo de opção de reserva, criado em 2011, determina que um percentual das reservas financeiras de um banco turco pode estar em divisa estrangeira ou ouro, e parte deve estar em liras.

Na opinião dos analistas, a queda da lira, que perdeu 25% do seu valor somente desde o início do mês (e cerca de 40% no ano), deve-se em parte às tensões diplomáticas com os Estados Unidos.

Washington exige de Ancara a libertação do clérigo protestante Andrew Brunson, detido na Turquia há dois anos sob acusação de terrorismo.

Na sexta-feira passada, o governo do presidente americano, Donald Trump, anunciou uma duplicação das tarifas ao aço e ao alumínio da Turquia, para 50% e 20%, respectivamente.