Correio do Povo | Notícias | Professores filiados à Adufrgs definirão sobre greve por meio de consulta eletrônica

Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de Novembro de 2018

  • 23/11/2016
  • 23:00
  • Atualização: 23:02

Professores filiados à Adufrgs definirão sobre greve por meio de consulta eletrônica

Expectativa é de que resultado seja divulgado nesta sexta-feira

  • Comentários
  • Camila Diesel/Rádio Guaíba

A Associação de Docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Adurfgs) decidiu, em assembleia na noite desta quarta-feira, que vai realizar dois dias de consulta aos professores para que definam se querem ou não entrar em greve. Na votação eletrônica, eles também devem definir a que tipo de mobilizações a associação deve aderir em relação à votação, no Senado, da PEC 241/55, que limita os gastos do governo federal pelos próximos 20 anos. A expectativa é de que os resultados sejam divulgados na sexta-feira. Já o primeiro turno da votação da PEC ocorre na próxima terça.

A Adufrgs representa 3,8 mil professores filiados em 12 municípios do Rio Grande do Sul, que podem participar da consulta através do site da entidade. O sindicato sustenta, ainda, ser o único com registro junto ao Ministério do Trabalho e legalmente capaz de representar os professores da Ufrgs, da UFCSPA, do IFRS e do IFSul.

Andes deflagra greve nesta quinta-feira

Já o Andes – Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior – deflagrou greve nacional, por tempo indeterminado, com início nesta quinta-feira, em protesto contra a PEC 55 e contra a Medida Provisória (MP) 746/2016, da reforma do Ensino Médio. Essa é a primeira greve unificada dos dois setores representados pelo ANDES-SN, desde a greve contra a Reforma da Previdência em 2003.

Na semana passada, o presidente do Andes, Mathias Luce, garante que a entidade representa 124 seções sindicais em todo o país, com presença nas principais universidades federais, e que todos os requisitos para a deflagração de greve foram cumpridos, permitindo que qualquer professor possa aderir ao movimento, seja qual for o sindicato a que pertença.

Em função da greve do Andes, professores das universidades federais de Santa Maria (UFSM), Pelotas (UFPel) e Rio Grande (Furg) também podem aderir à greve, ainda que de forma gradativa.