Correio do Povo | Notícias | Com 12,9 milhões de analfabetos, Brasil não bate meta de educação

Porto Alegre

29ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 13 de Novembro de 2018

  • 25/11/2016
  • 10:34
  • Atualização: 11:02

Com 12,9 milhões de analfabetos, Brasil não bate meta de educação

Em 2015, taxa estava 1,5 ponto porcentual acima da intenção, indica IBGE

Em 2015, taxa estava 1,5 ponto porcentual acima da intenção | Foto: USP Imagens / Divulgação / CP

Em 2015, taxa estava 1,5 ponto porcentual acima da intenção | Foto: USP Imagens / Divulgação / CP

  • Comentários
  • AE

O Brasil não atingiu a meta do Plano Nacional de Educação (PNE), que, em 2004, estipulou que, até 2015, 93,5% da população acima de 15 anos deveria estar alfabetizada. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), que o IBGE divulgou nesta sexta-feira, a taxa de analfabetismo estava em 2015 em 8%, ou seja, 1,5 ponto porcentual acima da meta.

A taxa de analfabetismo segue em tendência de queda no País, no entanto os avanços são lentos. O porcentual de analfabetos entre as pessoas com mais de 15 anos era de 11,5% em 2004 e passou a 8,3% em 2014. Para 2015, a diminuição no contingente de analfabetos foi de 800 mil pessoas.

O PNE foi lançado em 2004 para estipular diretrizes e estratégias para a política educacional no País na década 2004-2014.

Abertura da pesquisa

A pior taxa de analfabetismo está no Nordeste, com 16,2% da população; a mais baixa é verificada no Sudeste, 4,3%. Em todo o País, a redução dos índices esbarra na dificuldade de alfabetizar adultos acima de 40 anos, especialmente os idosos.

Entre as pessoas com mais de 40 anos, 30,8% não sabem ler nem escrever (em 2014, eram 32,3%). São brasileiros que não se alfabetizaram quando crianças e não foram atingidos por políticas públicas de ensino voltadas a adultos.

Já o número de anos de estudo está em 7,8 no Brasil, mais uma vez, com diferenças regionais: a média é de 8,5 anos no Sudeste e de 6,7 no Nordeste.