Correio do Povo | Notícias | Seduc orienta escolas a reorganizarem calendário letivo no RS

Porto Alegre

34ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 13 de Novembro de 2018

  • 13/10/2017
  • 16:46
  • Atualização: 16:55

Seduc orienta escolas a reorganizarem calendário letivo no RS

Manifestação da secretaria ocorreu antes da assembleia do Cpers

Seduc e Cpers divergem quanto ao número de grevistas | Foto: Alina Souza / CP Memória

Seduc e Cpers divergem quanto ao número de grevistas | Foto: Alina Souza / CP Memória

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

A Secretaria Estadual da Educação (Seduc) encaminhou orientações e critérios para que as escolas não afetadas pela greve do magistério reorganizem o calendário letivo, a partir de segunda-feira. De acordo com a Pasta, 75% das unidades seguem funcionando normalmente, embora o Cpers Sindicato garanta que a paralisação mantém parados 75% dos professores da rede estadual.

Sem aguardar a próxima assembleia da entidade, marcada para terça-feira, a Seduc informou que as escolas poderão utilizar todos os sábados disponíveis até a integralização do ano letivo, cujo encerramento deve ocorrer até 14 de janeiro do ano que vem. Etapas e modalidades ofertadas pelas escolas no turno da noite não devem, porém, usar o fim de semana.

Nos casos dos professores que seguirem em greve, a recuperação pode se estender até abril de 2018. “Nossa preocupação é com os alunos, especialmente aqueles que estão concluindo o ensino médio e vão prestar provas para o ingresso nas Universidades e Enem”, afirmou o diretor de Recursos Humanos da Seduc, José Adílson Santos Antunes. No caso dos professores que não aderiram à paralisação, as atividades vão até 29 de dezembro.

O calendário de recuperação, a ser elaborado pelas escolas, deve contemplar os 28 dias de greve dos meses de agosto, setembro e outubro. As propostas devem ser homologadas até 20 de outubro. Até o dia 27, as coordenadorias regionais devem encaminhar os cronogramas à Secretaria.

Não há permissão para aulas à distância para recuperar os dias de greve. A Seduc também esclarece que a reorganização do calendário não afeta em nada o direito às férias dos professores de, no mínimo, 45 dias para quem está em regência de classe. O início do ano letivo de 2018 é previsto para o dia 22 de fevereiro.