Correio do Povo | Notícias | Comunidade escolar reivindica retomada das obras do Instituto de Educação em Porto Alegre

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Outubro de 2018

  • 09/12/2017
  • 12:30
  • Atualização: 14:17

Comunidade escolar reivindica retomada das obras do Instituto de Educação em Porto Alegre

Diretora da escola calcula que apenas 10% das reformas foram concluídas até o momento

Comunidade escolar reivindica retomada das obras do Instituto de Educação em Porto Alegre | Foto: Guilherme Almeida

Comunidade escolar reivindica retomada das obras do Instituto de Educação em Porto Alegre | Foto: Guilherme Almeida

  • Comentários
  • Correio do Povo

Professores, estudantes pais e ex-alunos reuniram-se na manhã de sábado para reivindicar a retomada das obras de restauração integral do Instituto de Educação General Flores da Cunha, na avenida Osvaldo Aranha, em Porto Alegre. A mostra cultural RE-VIVA IE ocorreu em frente à instituição, que comemorou 148 anos em 2017 com cerca de 1.540 alunos de educação infantil, ensino fundamental e médio, além de abrigar um centro de formação de docentes e a educação de jovens e adultos.

A diretora da instituição, Leda Larratéa, lembrou que as obras haviam começado há dois anos e já deveriam estar concluídas. “Queremos que a escola seja devolvida à comunidade”, afirmou. Na época em que os trabalhos começaram, a comunidade escolar formada por cerca de 50 turmas teve de se dividir e ocupar quatro locais diferentes: Instituto Estadual Rio Branco; escolas estaduais de ensino fundamental Roque Callage e Felipe de Oliveira; e Escola Estadual de 1º Grau Professora Dinah Néri Pereira. “Queremos voltar”, resumiu.

Ela calculou que apenas 10% da obra foram realizadas, sendo então rescindido o contrato com a empresa responsável. Um novo processo está em andamento por parte do Governo do Estado para o reinício dos trabalhos, mas a diretora avaliou que “está bem demorado”. De acordo com Leda Larratéa, a restauração inclui os telhados, móveis, redes de água, luz e esgoto, fachada externa e interna, salas e banheiros. “É um prédio de 1935”, recordou, destacando que o mesmo é tombado pelo município e estado. 


TAGS » Porto Alegre, Ensino