Correio do Povo | Notícias | UniRitter confirma demissão de reitora, mas não o número de professores exonerados

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 21 de Outubro de 2018

  • 15/12/2017
  • 19:04
  • Atualização: 20:00

UniRitter confirma demissão de reitora, mas não o número de professores exonerados

Já os alunos estimam que cerca de 100 docentes tenham sido demitidos na quinta-feira

Alunos fizeram manifestação na universidade após demissões de professores | Foto: Yaçanan Bastos / Especial CP

Alunos fizeram manifestação na universidade após demissões de professores | Foto: Yaçanan Bastos / Especial CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

A Uniritter confirmou, nesta sexta-feira, a demissão da reitora Laura Frantz e da pró-reitora Barbara Cardoso. O cargo será assumido por Germano Schwartz, que atuava como coordenador do mestrado de direitos humanos. Contudo, a universidade não informou o número de professores demitidos na quinta-feira

Os alunos, contudo, estimam que cerca de 100 docentes tenham sido exonerados, principalmente dos cursos de Direito, Administração, Jornalismo e da área da Saúde, incluindo orientadores de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), paraninfos e homenageados. 

O Diretório Central de Estudantes (DCE) de Canoas informou que, na próxima segunda-feira, haverá reunião com o coordenador do campus para discutir as mudanças. O evento vai ocorrer no auditório e será aberto a todos os estudantes. O DCE criticou o posicionamento da instituição “como um negócio” e afirmou que a expectativa é de abertura ao diálogo com os alunos.

Fadergs

A estudante do curso de Serviço Social do Centro Universitário Fadergs Caroline Niedzialek informou que na instituição – que faz parte da Rede Laureate, a mesma da UniRitter – ocorreram, desde o início de dezembro, demissões dos coordenadores dos cursos de Educação Física e Psicologia. Segundo Caroline, a notícia foi divulgada aos alunos por e-mail “sem detalhamento de informações importantes, uma vez que estávamos ainda em período letivo”. Questionada, a Fadergs informou que, ao contrário do caso da Uniritter, trata-se de demissões pontuais, “sem volume excessivo”, que ocorrem todos os anos.