Correio do Povo | Notícias | Audiência pública deve debater caso de racismo na Unisc

Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 25 de Setembro de 2018

  • 14/07/2018
  • 09:56
  • Atualização: 10:05

Audiência pública deve debater caso de racismo na Unisc

Pedido foi protocolado pelo deputado Juliano Roso

  • Comentários
  • Correio do Povo

Uma audiência pública deverá tratar da ocorrência e reincidência de frases racistas e com apologia à violência, pichadas na Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). O pedido da audiência foi protocolado na Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, pelo vice-presidente, deputado Juliano Roso. O objetivo, segundo o deputado, é acionar diferentes órgãos para tratar do assunto e buscar formas de coibir novos atos do gênero.

“Estas atitudes não merecem ficar impunes. É dever desta Casa Legislativa tomar providências quanto a estas agressões, que não podem se repetir. Este é um país miscigenado e é inaceitável este tipo de atitude ocorrer dentro de uma instituição de Ensino”, justificou o parlamentar.

Na Unisc, o Comitê de Direitos Humanos realizou ontem sessão ordinária que, entre outras questões, abordou o tema. Além dos integrantes do Comitê, participou o assessor jurídico da Universidade, Eltor Breunnig, para prestar informações das providências jurídicas que estavam sendo tomadas e que serão diretamente acompanhadas pelos integrantes.

Segundo a coordenadora do Comitê, Caroline Muller Bitencourt, a instituição realiza, há mais de dez anos, várias ações relativas à questão de proteção e de promoção de igualdades. Caroline explicou que, na reunião, foram debatidas propostas para intensificar as iniciativas (quadro). “Acima de tudo, o Comitê reiterou seu compromisso em lutar contra qualquer forma de discriminação e ser agente propulsor na conscientização social e em ações preventivas que evitem qualquer forma de violação da dignidade da pessoa humana.”

Propostas

Construir uma página do Comitê, na Internet, com vídeos educativos e formativos, na questão de proteção de minorias e promoção da igualdade, inclusive a racial. Realizar, no 2º semestre, a Semana da Promoção da Diversidade, com palestras, seminários, oficinas e divulgação de combate à discriminação, bem como cartilhas informativas sobre crime de racismo, xenofobia, combate à homofobia, igualdade feminina, combate a violência doméstica, acessibilidade e inclusão de deficientes. Intensificar ações, junto à Ouvidoria Institucional, ao Núcleo de Apoio ao Professor e ainda ao Núcleo de Apoio ao Aluno.