Correio do Povo | Notícias | UFPel lamenta possibilidade de cortes de orçamento na Capes

Porto Alegre

27ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de Novembro de 2018

  • 03/08/2018
  • 15:53
  • Atualização: 17:13

UFPel lamenta possibilidade de cortes de orçamento na Capes

Gestores alertam que interrupção de recursos pode paralisar pesquisa brasileira

UFPel lamenta possibilidade de cortes de orçamento na Capes | Foto: Divulgação / UFPel / CP Memória

UFPel lamenta possibilidade de cortes de orçamento na Capes | Foto: Divulgação / UFPel / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

O pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da Universidade Federal de Pelotas, Flávio Demarco definiu cenário da ciência e tecnologia brasileira como "desolador" após anúncio de possíveis cortes de recursos previstos para a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (Capes). Restrição integra projeto que prevê uma nova Lei Orçamentária Anual (LOA) que deixa de destinar à entidade cerca de R$ 500 milhões, segundo o presidente da Coordenação, Abilio Beata Neves.

A medida afeta diretamente 400 mil bolsistas de mestrado, doutorado, pós-doutorado e dos programas de Iniciação a Docência e de Formação de Professores da Educação Básica. Segundo a entidade, o maior impacto seria sentido no desenvolvimento da ciência e tecnologia brasileiros, caso o projeto obtenha aprovação, já que o sistema Universidade Aberta do Brasil e os mestrados para qualificação de professores da Educação Básica precisarão ser interrompidos.

O coordenador de Pós-Graduação da pró-reitoria, Rafael Vetromille, destaca que o não pagamento das bolsas influencia no desenvolvimento da pesquisa no país. "Muitos dos nossos estudantes de pós-graduação dependem das bolsas para desempenharem suas atividades", explicou Vetromille. Segundo ele, os subsídios são o que permite que pesquisadores mantenham operação em seus laboratórios.

Demarco lembra que a Capes foi responsável por colocar o Brasil no mapa da pesquisa. Para o pró-reitor, foi a partir da criação da Coordenação que houve uma implementação real da pós-graduação no país. Os gestores alertam para a redução de titulados brasileiros atuantes ou do aumento da evasão dos programas de mestrado e doutorado em busca de condições de desenvolver pesquisa em instituições estrangeiras.