Correio do Povo | Notícias | Licitação da reforma de casas de bombas deve sair em março

Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 23 de Setembro de 2018

  • 10/02/2016
  • 17:33
  • Atualização: 22:36

Licitação da reforma de casas de bombas deve sair em março

Prefeitura de Porto Alegre também estuda obras de drenagem para evitar alagamentos

 Prefeitura estuda obras de drenagem para evitar alagamentos | Foto: Guilherme Testa

Prefeitura estuda obras de drenagem para evitar alagamentos | Foto: Guilherme Testa

  • Comentários
  • Jéssica Mello

Os alagamentos ocasionados em dias de chuva em Porto Alegre podem começar a ser solucionados ainda neste ano. A reforma de casas de bombas e obras de macrodrenagem de Porto Alegre devem ser licitadas no próximo mês. O projeto, planejado pelo Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), está orçado em R$ 190 milhões, com recursos garantidos pelo Ministério das Cidades e aguarda a análise final do orçamento pela Caixa Econômica Federal para a publicação dos editais. O objetivo é reduzir as áreas de alagamentos na Capital.

Pelo custo de R$ 107 milhões, o projeto na bacia hidrográfica do Arroio Areia compreende mais de 20 obras. A estimativa é de que 178 mil pessoas nos bairros Boa Vista, Chácara das Pedras, Cristo Redentor, Higienópolis, Jardim São Pedro, Passo D’Areia, Santa Maria Goretti, São João, Três Figueiras, Vila Ipiranga, Bom Jesus e Vila Jardim sejam afetadas diretamente. Serão implantadas sete bacias de detenção e ampliados os condutos de macrodrenagem em diversos bairros e pontos.

A casa de bombas Silvio Brum também passará por reformas. A expectativa é de que todo esse complexo de obras seja executado em 48 meses. “Obras de drenagem são complexas, pois é preciso observar a topografia, plano diretor e interligar com as redes antigas. Estamos trabalhando há três anos nesses projetos”, disse o diretor do DEP, Tarso Boelter.

A modernização de cinco casas de bombas - 12, 13, 15, 16 e Vila Farrapos - também deve ser licitada no mesmo período. O valor é de aproximadamente R$ 43 milhões. Além de novas bombas, painéis elétricos, as casas receberão geradores próprios. Após concluída a obra, a capacidade de bombeamento das águas das chuvas passará de 45 mil litros por segundo para 67 mil litros por segundo. Um edital para a reforma de outras duas casas está previsto para o segundo semestre deste ano. O que deve afetar, principalmente, o bairro Sarandi, na zona Norte.

Ainda sem previsão para contratação de empresa responsável, a ampliação do sistema de macrodrenagem da bacia hidrográfica do Arroio Moinho, também está sendo esperada. O projeto prevê a implantação de duas bacias de detenção de cheias e construídas novas tubulações e galerias pluviais. A intervenção abrangerá parte dos bairros São José, Vila João Pessoa, Coronel Aparício Borges, Agronomia e Cascata.

Desde o temporal do final do mês passado, o DEP tem buscado ampliar a limpeza das bocas-de-lobo das áreas atingidas, desobstrução das valas na zona Norte e Arroio Dilúvio. “O acúmulo de lixo, a areia e os galhos acabam indo para dentro da rede”, explica Boelter.


TAGS » Obras, Geral, Esgoto, DEP, Drenagem