Correio do Povo | Notícias | Escola da Restinga retoma aulas após vazamento de gás

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 25 de Setembro de 2018

  • 03/05/2016
  • 14:15
  • Atualização: 14:17

Escola da Restinga retoma aulas após vazamento de gás

Para a retomada das aulas foi necessária a realização do conserto em uma válvula da rede de tubulação

Escola foi liberada após conserto que sanou o vazamento de gás | Foto: Luciana Turela / PMPA / Divulgação / CP memória

Escola foi liberada após conserto que sanou o vazamento de gás | Foto: Luciana Turela / PMPA / Divulgação / CP memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

Os mais de 900 alunos da escola Municipal de Ensino Fundamental Nossa Senhora do Carmo, na Restinga, extremo-sul de Porto Alegre, voltaram as aulas nesta terça-feira, após mais de duas semanas de suspensão das atividades. O local ficou fechado nesse período em função do vazamento de gás que foi constatado na instituição, o que gerou preocupação na comunidade escolar.

Entre os estudantes e professores o clima foi de felicidade com a retomada das atividades. “Agora tudo volta ao normal e temos que correr para recuperar tudo”, ressaltou Lizia Souza, que trabalha na secretaria da escola. A instituição da rede municipal atende a 900 alunos nos três turnos, sendo à noite no modelo EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Para a retomada das aulas foi necessária a realização do conserto em uma válvula da rede de tubulação da escola, por onde passava o gás. Depois disso, houve a liberação por parte do Corpo de Bombeiros, inclusive com a realização do Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI).

Segundo a secretária municipal de Educação, Cleci Jurach, a situação serviu de aprendizado. Haverá a intensificação com as técnicas de nutrição para identificar com maior rapidez ocorrências similares, assim como uma parceria maior com a empresa responsável por prestar o serviço. “Lamentamos os transtornos causados, mas tiramos dessa situação um aprendizado”, afirmou.

Em função da interrupção, o calendário escolar terá que ser rediscutido. Haverá um encontro da direção e da comunidade escolar para discutir a recuperação das aulas. Apesar de a escola ter ficado fechada por mais de 18 dias, o número de dias letivos efetivamente foi menor, ficando em torno de oito, uma vez que houve um feriado neste período.