Porto Alegre

10ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 22 de Julho de 2017

  • 19/06/2017
  • 13:15
  • Atualização: 13:31

Número de migrantes no Rio Grande do Sul chega a 50 mil

Dados foram apresentados na Assembleia Legislativa durante Semana do Migrante no Estado

Estado recebe cerca de 70 migrante todos os meses entre haitianos, indianos e ganeses  | Foto: Fabiano do Amaral / CP Memória

Estado recebe cerca de 70 migrante todos os meses entre haitianos, indianos e ganeses | Foto: Fabiano do Amaral / CP Memória

  • Comentários
  • Claudio Isaías

O Rio Grande do Sul possui hoje 50 mil migrantes. Deste total, 8,5 mil haitianos e 4,2 mil senegaleses. No entanto, o Estado possui ainda migrantes indianos, chineses, ganeses e de Guiné-Bissau. Os dados foram apresentados nesta segunda-feira pelo presidente do Fórum de Mobilidade Humana, Elton Bozzetto, que participou da abertura da “Semana do Migrante no Rio Grande do Sul” realizada no salão Júlio de Castilhos, da Assembleia Legislativa.

A cerimônia contou com as presenças do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Edegar Pretto (PT) e do bispo auxiliar de Porto Alegre, dom Adilson Busin. Segundo Bozzetto, a Semana do Migrante foi criada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)há 32 anos. “Naquele período já havia a efervescência do fenômeno migratório no mundo. No entanto, em 2000, a Organização das Nações Unidas (ONU) criou o Dia Mundial do Refugiado, celebrado em 20 de junho”, explicou.

Conforme Bozzetto, a Semana do Migrante foi criada pela CNBB com a intenção de conscientizar a sociedade brasileira para a importância de superar o drama da discriminação e da falta de acolhimento de quem busca melhores condições de vida em outros países.

O deputado Nelsinho Metalúrgico (PT), presidente da Frente Parlamentar de Acompanhamento e Solidariedade aos Imigrantes e Refugiados no Rio Grande do Sul, informou que um levantamento da ONU mostrou que 4.271 pessoas morreram, principalmente no mar, quando tentavam chegar a outros países. “O Brasil está na rota dos movimentos migratórios, assim como o Rio Grande do Sul”, ressaltou.

Segundo dados do Centro Ítalo Brasileiro de Assistência e Instrução às Migrações (Cibai), todos os meses chegam ao Estado cerca de 70 migrantes. “O Rio Grande do Sul tem uma história de acolhimento a imigrantes e refugiados de diversos continentes”, acrescentou.

Segundo Nelsinho Metalúrgico, o trabalho da Frente Parlamentar é atuar na implementação de políticas públicas que auxiliem os imigrantes e refugiados com a garantia dos direitos fundamentais como a inserção no sistema educacional e no mercado de trabalho.