Correio do Povo | Notícias | Análises sobre gosto ruim da água devem ficar prontas até sexta-feira

Porto Alegre

14ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 27 de Maio de 2018

  • 14/02/2018
  • 09:51
  • Atualização: 12:11

Análises sobre gosto ruim da água devem ficar prontas até sexta-feira

Dmae suspeita que alterações tenham sido provocadas por algas e cianobactérias

Análises sobre gosto ruim da água devem ficar prontas até sexta-feira | Foto: Alina Souza / CP Memória

Análises sobre gosto ruim da água devem ficar prontas até sexta-feira | Foto: Alina Souza / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

O Departamento Municipal de Água e Esgotos de Porto Alegre (Dmae) suspeita que o gosto ruim e o cheiro de terra da água de Porto Alegre podem estar sendo causados pela proliferação de algas e cianobactérias no lago Guaíba. O resultado das análises hidrobiológicas realizadas no lago deve ficar pronto até sexta-feira, confirmando então a causa do gosto ruim da água.

Até terça-feira, o Dmae havia recebido 80 reclamações sobre o gosto da água. Segundo o departamento, a maioria dos relatos é de moradores do bairro Moinhos de Vento e da zona Norte de Porto Alegre. Apesar do gosto e cheiro, o Dmae garante a qualidade da água, que segue límpida e atende os parâmetros do Ministério da Saúde.

Contudo, na semana passada, o departamento ampliou a adição de dióxido de cloro e iniciou a dosagem de carvão ativado no pré-tratamento da água para consumo humano. “Esses insumos têm por objetivo amenizar as alterações percebidas”, explicou o órgão.

O órgão monitora também as estações mais próximas da foz do rio Gravataí, que pode também ter a proliferação das algas.

Algas e cianobactérias

A proliferação de algas e cianobactérias é favorecida pelas condições do verão, marcado por períodos de estiagem. Segundo o Dmae, a pouca chuva reduz o volume de água no manancial, com isso a turbulência das águas também reduz, tornando o lago mais límpido. A água cristalina permite maior penetração de raios solares, que aquecem a água. A temperatura elevada, por sua vez, favorece o desenvolvimento de microrganismos.

As cianobactérias podem liberar o composto MIB (2-Metilisoborneol), que dá à água o característico gosto terroso. Essa substância não traz riscos à saúde e a água tratada pelo Dmae segue sendo potável e pode ser consumida com segurança.


TAGS » Porto Alegre, Água, Dmae