Correio do Povo | Notícias | Botos emocionam e encantam veranistas no Litoral Norte

Porto Alegre

12ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 24 de Junho de 2018

  • 27/02/2018
  • 15:10
  • Atualização: 15:56

Botos emocionam e encantam veranistas no Litoral Norte

Animais estão na lista das espécies ameaçadas de extinção no Estado

Botos atraem a atenção tanto de veranistas e visitantes, como dos pescadores | Foto: Fabiano do Amaral

Botos atraem a atenção tanto de veranistas e visitantes, como dos pescadores | Foto: Fabiano do Amaral

  • Comentários
  • Mauren Xavier

Os olhares estão todos vidrados no encontro do mar e da lagoa, na divisa de Imbé e Tramandaí, no Litoral Norte. Mas não é para ver o cruzamento das águas, que por si só já é um espetáculo, mas sim para conseguir captar o exato momento que delas surgem os botos. Espécie em risco de extinção no Rio Grande do Sul, eles atraem a atenção tanto de veranistas e visitantes, como dos pescadores. E mesmo quem já está acostumado a vê-los não consegue esconder a emoção a cada aparecimento dos animais marinhos.

“Já tinha vindo outras vezes, mas só hoje consegui ver eles de perto. São lindos”, comentou Lisandra Ferreira da Silva, que estava com o esposo Gilvan e a filha Evelyn, de 15 anos, e a amiga dela, Raissa, de 12. Eles estavam encerrando a temporada de verão na praia de Quintão, e se deslocaram até Imbé para tentar assistir ao espetáculo e saíram satisfeitos. “Tem que ter paciência, mas vale a pena”, resumiu Lisandra.

E paciência é um termo que vale tanto para quem quer vê-los, como fazer o registro. Isso porque o tempo é extremamente curto entre a subida à superfície e o mergulho novamente. Além disso, acaba sendo uma brincadeira informal tentar saber onde irão aparecer. Enquanto isso, na beira da água, os pescadores acompanham o seu aparecimento a presença de peixes, sendo assim, onde irão lançar as suas tarrafas. Tudo em uma perfeita sintonia e que normalmente traz bons resultados. “O boto é fundamental para indicar os melhores pontos da pesca porque ele segue o cardume”, comentou Dailor de Negri, 53 anos, acompanhado do filho Augusto, de 11, que também se preparava para conseguir fazer a sua pesca.

Segundo o professor da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs), Paulo Henrique Ott, os botos estão na lista das espécies ameaçadas de extinção no Estado. “Várias espécies do litoral estão nesta lista. Atualmente, são mais de 60 espécies da fauna e da flora classificadas como ameaçadas”, explicou. Entre elas estão o cação-anjo, a garoupa, a tartaruga-ver, tuco-tuco-das-dunas e a lagartixa-da-praia, além de algumas plantas. “É importante, portanto, que as pessoas conheçam e protejam essas espécies para que o nosso litoral continue sendo um lugar fascinante que nos atrai todos os anos”, resumiu.