Correio do Povo | Notícias | Protesto dos caminhoneiros afeta deslocamento dos caminhões do DMLU

Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 20 de Novembro de 2018

  • 23/05/2018
  • 14:24
  • Atualização: 18:36

Protesto dos caminhoneiros afeta deslocamento dos caminhões do DMLU

Prefeitura encaminhou pedido para a PRF solicitando a liberação

  • Comentários
  • Jessica Hübler

O trajeto dos caminhões do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), até o aterro sanitário de Minas do Leão, foi prejudicado pela greve dos caminhoneiros e o problema com a logística pode afetar a coleta de resíduos na Capital. Pelo menos 20 caminhões carregados com resíduos seguem parados na rodovia federal BR 290, que está bloqueada. Além de 13 que estão estacionados no pátio da empresa. Por conta disso, houve um atraso que complicou a situação na Estação de Transbordo da Lomba do Pinheiro. O aterro está localizado a 113 km de Porto Alegre.

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb), por meio do DMLU, informou que "a velocidade do fluxo de descarga dos caminhões, logística realizada na Estação de Transbordo, está sendo impactada pela dificuldade de acesso ao aterro, mas ocorre dentro da normalidade. O DMLU segue atento aos desdobramentos do protesto, para as adequações na operação que forem necessárias".

O Departamento esclareceu que, se a paralisação não for finalizada, poderá impactar na coleta de resíduos da Capital. Além disso, a pasta destacou que, no transbordo, há cerca de 2 mil toneladas de resíduos, sendo que a capacidade total é cerca de 4 mil. A cada dia de operação, são gerados cerca de 2 mil toneladas de resíduos na Capital.

A Prefeitura, através da Procuradoria-Geral do Município (PGM), encaminhou junto à Advocacia-Geral da União (AGU) um pedido para a liberação dos caminhões. Conforme a SMSUrb, os técnicos do DMLU estão acompanhando a situação e buscando a solução do problema. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que não há previsão para liberação dos caminhões.