Correio do Povo | Notícias | Falha na comunicação agravou transtornos no Trensurb

Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de Novembro de 2018

  • 17/07/2018
  • 20:39
  • Atualização: 21:42

Falha na comunicação agravou transtornos no Trensurb

Cerca de 200 ônibus poderiam ter sido acionados após suspensão na circulação dos trens, pela manhã

Estações da Trensurb ficaram fechadas por mais de quatro horas na manhã desta terça | Foto: Guilherme Testa

Estações da Trensurb ficaram fechadas por mais de quatro horas na manhã desta terça | Foto: Guilherme Testa

  • Comentários
  • Heron Vidal

A ausência de comunicação entre Trensurb, Fundação Metropolitana de Planejamento (Metroplan) e Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) pode ter sido a causa que agravou o apagão no acesso de milhares de pessoas a Porto Alegre pelo Trensurb na manhã desta terça-feira.

Pelo menos entre a Trensurb e a Metroplan isso aconteceu, reconheceu o diretor-superintendende da Fundação, Pedro Bisch Neto. “Houve duas falhas. Uma delas foi elétrica devido a tempestade e a outra de comunicação. Se tivéssemos sido comunicados do problema, pela Trensurb, teríamos acionado o plano de contingência”, disse.

• Passageiros relatam falta de informação durante fechamento das estações da Trensurb

Poderia ter sido operada a integração de cerca de 200 ônibus das empresas de transporte de passageiros que atuam no eixo Novo Hamburgo-Porto Alegre pela BR 116. “Mas só fomos saber após às 8h, pela imprensa, mas o pico do problema, sério aos usuários, começou antes das 7h e terminou às 9h30min”, lamentou Bisch Neto.

Explicação da Trensurb

Para ser acionado o plano de emergência é necessário a interrupção total, o que ocorreu às 7h50min, e não parcial da linha do trem, informou a Trensurb por meio de sua assessoria. Conforme a explicação, o plano não pode obrigar uma empresa de ônibus, por exemplo, de Novo Hamburgo a trazer passageiros a Porto Alegre, e sim em trechos do percurso, dentro da sua linha. Por isso, a opção do plano não foi usada.

A EPTC não entrou em ação pelo fato de não ter sido acionada, disse sua assessoria. A primeira interrupção do trem, parcial, ocorreu em Canoas. Foi usada uma das duas linhas para o trajeto de ida e volta das 22 estações do trem.

Às 7h50min ocorreu pane em um trem que levava passageiros. A partir desse momento aconteceu a paralisação total do uso de trens, informou a Trensurb. Todas essas questões foram examinadas na tarde de hoje pela Trensurb, o que pode levar a propostas de mudança do plano de contingenciamento.

De acordo com a assessoria a companhia também avalia a possibilidade de lançar um aplicativo para smartphones com o objetivo de informar os usuários dos trens. Entretanto, não há ainda prazo para a efetivação destes estudos.