Correio do Povo | Notícias | Abastecimento em postos de combustíveis está dentro da normalidade no RS, diz Sulpetro

Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 22 de Setembro de 2018

  • 03/09/2018
  • 09:46
  • Atualização: 09:53

Abastecimento em postos de combustíveis está dentro da normalidade no RS, diz Sulpetro

No domingo, motoristas fizeram filas nos estabelecimentos para comprar gasolina

Temendo desabastecimento, motoristas fizeram filas em postos de combustível na noite de domingo | Foto: Fabiano do Amaral

Temendo desabastecimento, motoristas fizeram filas em postos de combustível na noite de domingo | Foto: Fabiano do Amaral

  • Comentários
  • Correio do Povo

Após motoristas realizarem filas em postos para comprar combustíveis no domingo, o Sulpetro, sindicato que representa os postos de combustíveis do Rio Grande do Sul, garantiu que o abastecimento nos locais “encontra-se dentro da normalidade”. A alta procura por gasolina ocorreu após informações de uma possível paralisação dos caminhoneiros circularem pelas redes sociais.

“O Sindicato destaca que ocorreu uma procura maior pelo abastecimento de combustíveis neste domingo devido às fake news diante de uma possível greve dos caminhoneiros, mas que não há falta de produto nos estabelecimentos”, destacou a nota emitida na manhã desta segunda-feira. O Sulpetro disse ainda que, caso algum posto ficou sem combustível durante o final de semana, é porque os postos não recebem carregamentos aos domingos.

As notícias convocando para uma nova paralisação dos caminhoneiros foram disseminadas por um suposto sindicato da categoria após a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) confirmar o ajuste na tabela de preços mínimos de frete, em função da alta mais recente do diesel. A greve de 11 dias dos caminhoneiros em maio foi encerrada após o presidente Michel Temer desistir da adoção de nova tabela mínima do frete.

A União dos Caminhoneiros do Brasil (UDC) e Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) disseram que, por enquanto, não existe clima para nova greve e que as notícias disseminadas por redes sociais não possuem representatividade na categoria.