Correio do Povo | Notícias | Primeiro grupo de refugiados venezuelanos chega dia 5 ao Rio Grande do Sul

Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

  • 03/09/2018
  • 14:49
  • Atualização: 15:11

Primeiro grupo de refugiados venezuelanos chega dia 5 ao Rio Grande do Sul

Ao todo, 646 imigrantes serão divididos em 425 em Canoas e 221 em Esteio

Ao todo, 646 imigrantes serão divididos em 425 em Canoas e 221 em Esteio | Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil / CP

Ao todo, 646 imigrantes serão divididos em 425 em Canoas e 221 em Esteio | Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil / CP

  • Comentários
  • Cláudio Isaías

O primeiro grupo de refugiados venezuelanos chegará ao Rio Grande do Sul no dia 5 de setembro. Eles devem desembarcar na Base Aérea de Canoas no final da tarde de quarta-feira. A cidade de Esteio, na Região Metropolitana de Porto Alegre, será o destino de 221 migrantes. Eles serão alojados em dois prédios alugados pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur).

O primeiro voo trará 125 pessoas e o segundo, no dia 13 de setembro, 96 cidadãos da Venezuela. Já o grupo de 125 migrantes que passará a residir em Canoas, também na Região Metropolitana de Porto Alegre, chegará no dia 11 de setembro, na Base Aérea de Canoas. O desembarque ocorre no final da tarde.

No dia 13, serão 196 venezuelanos - 96 que ficarão em Esteio e 100 em Canoas. O processo termina no dia 18 de setembro com a chegada de 200 venezuelanos que ficarão em Canoas. Um total de 646 venezuelanos vão residir no Estado - 425 em Canoas e 221 em Esteio.

A secretária municipal de Desenvolvimento Social de Canoas, Luísa Camargo, destacou que o município está em permanente diálogo com a prefeitura de Esteio, o Acnur, a Associação Antônio Vieira (Asav) e o governo Federal para estruturar o plano de ação de recepção e acolhimento aos refugiados. “Recebemos a confirmação de que os venezuelanos virão vacinados, com CPF e carteiras de trabalho”, destacou.

O município vai participar da organização das comissões de recepção e fará a gestão dos alojamentos, em parceria com Acnur e Asav. A prefeitura de Canoas também realizará o cadastramento dos refugiados no Cadastro Único do Governo Federal.

As prioridades a partir da chegada dos venezuelanos serão o acolhimento, o auxílio com a língua e a inserção deles na comunidade e no mercado de trabalho, para que consigam conquistar a independência. O prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal, informou que os 221 migrantes serão colocados em dois prédios, alugados pelo Acnur.

A cidade receberá R$ 530,4 mil, recursos que serão investidos em ações para dar melhor acolhida aos venezuelanos nas áreas de assistência social, saúde e educação, principalmente, ao longo de seis meses, período que poderá ser renovado. Já o subcomandante geral do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul, coronel Evaldo Rodrigues de Oliveira, informou que a corporação num primeiro momento ajudará os venezuelanos na segurança dos alojamentos onde eles ficarão hospedados.

"Queremos ajudar, também, na qualificação profissional dos adultos e das crianças. No caso das crianças, existe o projeto Bombeiro Mirim, que aborda temas como prevenção contra incêndios, primeiros socorros e acidentes de trânsito; o meio ambiente e os cuidados para a sua preservação; a prevenção ao uso de drogas lícitas e ilícitas e, por fim, os principais aspectos de higiene e de prevenção de doenças”, ressaltou.

Com relação aos adultos, o coronel apresentou dois programas temporários que poderão ser oferecidos aos imigrantes: o Bombeiro Militar Temporário, programa com duração de quatro anos e o Guarda Vidas Temporário, com duração de seis meses, onde serão executadas funções relacionadas a atividade de salvamento aquático. Ambas contratações são feitas pelo governo do Estado, conforme aptidão dos refugiados.