Correio do Povo | Notícias | Operação busca mapear áreas degradadas de Mata Atlântica no RS

Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 21 de Outubro de 2018

  • 11/09/2018
  • 11:35
  • Atualização: 11:43

Operação busca mapear áreas degradadas de Mata Atlântica no RS

Ação do Ministério Público ocorre ainda em outros 14 Estados

Área devastada em Tenente Portela | Foto: Ministério Público do RS / Divulgação / CP Memória

Área devastada em Tenente Portela | Foto: Ministério Público do RS / Divulgação / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

Uma operação em 15 Estados busca mapear áreas degradadas de Mata Atlântica, identificar os responsáveis pelo desmatamento e cobrar a reparação dos danos. No Rio Grande do Sul, cerca de 125 hectares estão sendo fiscalizados, sendo que restam apenas 7,5% de áreas remanescentes de Mata Atlântica, com alto grau de fragmentação em relação a cobertura original. Além do RS, a ação do Ministério Público está sendo realizada no Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí e Ceará.

O bioma da Mata Atlântica está presente em 17 Estados brasileiros e cobre - em sua extensão original - cerca de 13% do território nacional, onde vivem aproximadamente 140 milhões de pessoas, que dependem das múltiplas funções ambientais da Mata Atlântica. Apesar disso, continuam ocorrendo desmatamentos em toda a sua extensão.

A mata é considerada Patrimônio Nacional pela Constituição Federal e apresenta uma biodiversidade oito vezes maior do que a da Amazônia, constituindo-se em refúgio para inúmeras espécies endêmicas de fauna e flora, incluindo espécies ameaçadas de extinção. “É de extrema importância para a conservação dos recursos hídricos e para o equilíbrio climático da área mais povoada do país”, alerta o coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente Daniel Martini.

Os trabalhos de fiscalização serão conduzidos e coordenados por equipes formadas por representantes dos Ministérios Públicos, órgãos públicos ambientais e polícias ambientais de cada estado participante, a partir da organização e planejamento idealizados pelo Ministério Público do Estado do Paraná.