Correio do Povo | Notícias | Sonda InSight da Nasa estudará sismos no Planeta Vermelho

Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de Novembro de 2018

  • 03/05/2018
  • 16:10
  • Atualização: 16:19

Sonda InSight da Nasa estudará sismos no Planeta Vermelho

Missão pretende ajudar a compreender diferenças entre Terra e Marte

Lançamento do robô está previsto para o próximo sábado sábado | Foto: NASA / AFP / CP

Lançamento do robô está previsto para o próximo sábado sábado | Foto: NASA / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

A Nasa se prepara para implementar sua primeira missão a Marte desde 2012 com o lançamento, no sábado, da sonda InSight, que estudará sua atividade tectônica para desvendar o mistério da formação dos planetas rochosos. O lançamento do veículo, batizado Interior Exploration Using Seismic Investigations, Geodesy and Heat Transport (InSight), está previsto para 11H05 GMT (08H05 em Brasília) de sábado na base Vandenberg da Força Aérea americana, na Califórnia.

Originalmente estava programado para 2016, mas a descoberta de vazamentos em um dos instrumentos meses antes da data forçou o adiamento. As janelas de lançamento favoráveis para Marte ocorrem apenas a cada dois anos. Se tudo correr de acordo com o plano esta vez, a sonda deveria chegar ao seu destino em 26 de novembro, quando se tornaria o primeiro aparelho da Nasa a pousar em Marte desde o veículo Curiosity, em 2012.

Como a Terra e Marte provavelmente se formaram de forma similar há 4,5 bilhões de anos, a agência espacial americana espera que a missão ajude a compreender porque ambos os planetas são tão diferentes. "Como fomos de uma bola de rochas com poucos relevos a um planeta que pode ou não sustentar a vida é uma questão crucial na ciência planetária", disse Bruce Banerdt, o pesquisador principal do InSight no Jet Propulsion Laboratory da Nasa em Pasadena, Califórnia. "Gostaríamos de poder entender o que aconteceu", afirmou.

Pistas

Na Terra, esta evolução ficou oculta por bilhões de anos de terremotos e movimentos de rochas fundidas no manto, explicou o cientista. Mas Marte, o quarto planeta a partir do Sol, que é menor e menos ativo geologicamente que nosso planeta, poderia abrigar algumas pistas sobre o assunto. InSight recolherá dados através de três instrumentos: um sismômetro, um dispositivo para localizar com precisão a sonda enquanto Marte oscila sobre seu eixo de rotação e um sensor de fluxo de calor inserido a cinco metros no subsolo marciano. Sua missão será, em primeiro lugar, detectar os terremotos marcianos que, de acordo com a descrição da Nasa, são "como um flash que ilumina a estrutura interna do planeta".

Os cientistas esperam registrar até uma centena de "tremores de Marte" no decorrer da missão. A maioria deveria ser inferior a seis na escala aberta de Richter. Estudar a forma como as ondas sísmicas se deslocam através da crosta, o manto e o núcleo do Planeta Vermelho poderia ajudá-los a saber mais sobre como estão constituídas as diferentes camadas e que espessura têm.

O Seismic Experiment for Interior Structure (SEIS) foi desenhado pelo Centro Nacional de Estudos Espaciais (CNES) da França, enquanto o detector de calor Heat Flow and Physical Properties Package (HP3) é uma colaboração entre as agências espaciais alemã, DLR, e polonesa, CBK. As sondas Viking da Nasa lançadas no final da década de 1970 dispunham de sismômetros, dos quais apenas um havia funcionado, mas era muito menos sensível porque estava fixado na parte superior da sonda. Esta vez, o sismômetro do InSight será colocado diretamente no solo, graças a um braço robótico.