Correio do Povo | Notícias | Peixe-boi sai da lista de espécies em perigo iminente de extinção

Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de Novembro de 2018

  • 30/03/2017
  • 21:34
  • Atualização: 21:40

Peixe-boi sai da lista de espécies em perigo iminente de extinção

Entidade dos EUA salientou esforços que garantiram crescimento da população para mais de 6,6 mil exemplares

Entidade dos EUA salientou esforços que garantiram crescimento da população para mais de 6,6 mil exemplares | Foto: Guillaume Sauvant / AFP / CP

Entidade dos EUA salientou esforços que garantiram crescimento da população para mais de 6,6 mil exemplares | Foto: Guillaume Sauvant / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O Serviço para Peixes e Vida Selvagem dos Estados Unidos informou, nesta quinta-feira, que os peixes-boi não são mais considerados espécie "em perigo de extinção". A entidade salientou o  sucesso de décadas de esforços para recuperar a população desses animais na Flórida e na região do Caribe.

A população de peixes-boi das Índias Ocidentais na Flórida tem hoje cerca de 6.620 exemplares, "uma reviravolta dramática em relação à década de 1970, quando restavam apenas algumas centenas de indivíduos", disse uma declaração do Serviço para Peixes e Vida Selvagem.

Os peixes-boi são agora considerados "ameaçados", o que significa que eles estão protegidos pela Lei de Espécies Ameaçadas de Extinção, mas já não são considerados em perigo iminente de extinção em todas as suas variedades.  A decisão se aplica ao peixe-boi das Índias Ocidentais, que inclui a subespécie do peixe-boi da Flórida, encontrada no sudeste dos Estados Unidos.

Também se aplica ao peixe-boi antilhano, encontrado em Porto Rico, México, América Central, norte da América do Sul e Grandes e Pequenas Antilhas. "Embora ainda haja mais trabalho a ser feito para recuperar totalmente as populações de peixes-boi, particularmente no Caribe, o número de peixes-boi está aumentando e estamos trabalhando ativamente com parceiros para enfrentar as ameaças", disse Jim Kurth, diretor do Serviço para Peixes e Vida Selvagem.