Correio do Povo | Notícias | Identificados mais de 800 focos do mosquito da dengue em Cachoeirinha

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 13 de Novembro de 2018

  • 05/11/2015
  • 17:51
  • Atualização: 18:02

Identificados mais de 800 focos do mosquito da dengue em Cachoeirinha

Ações de combate ao aedes aegypti acontecerão na Vila Nair e Monte Carlo

Coletiva nesta quinta-feira anunciou a ação em Cachoeirinha | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

Coletiva nesta quinta-feira anunciou a ação em Cachoeirinha | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

  • Comentários
  • Fernanda Bassôa

Os agentes das equipes de Saúde da Prefeitura de Cachoeirinha identificaram 843 focos do mosquito Aedes Aegypti distribuídos em 16 bairros da cidade. As localidades Nair e Monte Carlo são as áreas onde há maior concentração dos óvulos do mosquito transmissor da Dengue, com 370 e 152, respectivamente.

Para combater a proliferação do mosquito e evitar que a comunidade seja infectada, o prefeito Vicente Pires anunciou nesta quinta-feira operações de uma força-tarefa, batizadas de Dia D, programadas para o dias 7, na Vila Nair, e 14, na Monte Carlo, de novembro. As ações acontecerão das 8h às 17h e as localidades serão dívidas em quadrantes.

“A intenção é realizar atuações de forma antecipada, evitando uma epidemia. Vamos intensificar as atividades e vistorias nos bairros onde o foco é maior, enfrentando o problema de maneira preventiva. A educação ambiental é fundamental neste caso”, disse o prefeito Vicente Pires.

O calor, seguido de chuva e as previsões de tempo úmido e quente seriam propícios para o desenvolvimento e a proliferação rápida dos óvulos, conforme informou o secretário Amir. “Cerca de 200 funcionários, dos setores da saúde e demais áreas da Administração, estarão engajados nos dois dias de força-tarefa. As equipes farão visitas as residências notificando pontos de acúmulo de água e identificação de locais hospedeiros (de larvas ou óvulos)”, afirmou o secretário da Saúde, Amir da Costa Selaimen.

O poder público salienta que no primeiro momento a notificação se restringe a comunicação verbal e orientações de procedimentos. O morador terá 15 dias para se adequar. Caso venha reincidir, estará sujeito a multa e até mesmo a uma medida policial (ação criminal). Durante as visitações, as famílias farão parte de um cadastramento e aquelas que estiverem livres de focos ganharão um selo. “É uma ação de muita responsabilidade social e de saúde pública. Precisamos da coparticipação e engajamento da comunidade”, pontuou o prefeito.

De acordo com dados da prefeitura, o Centro Estadual de Vigilância em Saúde pontua que Cachoeirinha teve, até outubro deste ano, 11 casos notificados e um confirmado. No entanto, não há registro de que a doença tenha sido contraída dentro do município.