Correio do Povo | Notícias | Índice de infestação de Aedes atinge status crítico em Porto Alegre

Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

  • 24/01/2017
  • 10:26
  • Atualização: 10:30

Índice de infestação de Aedes atinge status crítico em Porto Alegre

Fêmea do mosquito transmite dengue, zika e chikungunya

Índice de infestação de fêmeas de Aedes atinge status crítico em Porto Alegre | Foto: Cristine Rochol / PMPA / Divulgação / CP

Índice de infestação de fêmeas de Aedes atinge status crítico em Porto Alegre | Foto: Cristine Rochol / PMPA / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

* Com informações da prefeitura de Porto Alegre

Conforme a tendência sazonal para Porto Alegre, o monitoramento inteligente do Aedes aegypti (MI Aedes) realizado pela prefeitura aponta que o índice médio de infestação de fêmeas adultas (Imfa) do inseto vetor da dengue, zika e chikungunya na Capital atingiu status crítico na semana epidemiológica 3 de 2017 (15 a 21 de janeiro), com índice 1,00.

O Imfa é obtido a partir do monitoramento semanal em 935 armadilhas para captura do mosquito adulto em 31 dos bairros da cidade considerados como vulneráveis para a dengue ou com histórico dos casos de dengue, zika e chikungunya confirmados. A última semana epidemiológica a registrar o status crítico no MI Aedes havia sido a semana 17 de 2016 (24 a 30 de abril).

O aumento da infestação é comum no verão, quando são registradas temperaturas mais elevadas e mais chuvas. Além disso, como são mais frequentes as viagens, acúmulo de água pode acontecer com mais frequência, já que, muitas vezes, os moradores não estão em casa para fazer a verificação semanal necessária para evitar os criadouros do mosquito vetor.

A condição crítica indica que a população deve incrementar ainda mais as medidas de controle do vetor, dentre elas verificação e eliminação de água parada em pátios, calhas, ralos, além de descarte de resíduos inservíveis, entre outras. 

Entenda o Imfa

Com o MI Aedes, metodologia implantada pela prefeitura em 2012, é possível acompanhar, semanalmente, a densidade de mosquitos adultos em cada uma das armadilhas. O número de coletas de fêmeas adultas do inseto gera o Imfa, considerado por semana epidemiológica. Este índice é dividido em satisfatório, moderado, alerta e crítico, de acordo com o número de fêmeas coletadas no total das armadilhas. Respectivamente, cada uma das faixas tem o seguinte intervalo de Imfa: satisfatório, 0 a 0,15; moderado, 0,15 a 0,30; alerta, 0,30 a 0,9; e crítico, Imfa superior a 0,9.