Correio do Povo | Notícias | Busca por vacina contra a febre amarela intensifica movimento em postos de saúde de Porto Alegre

Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 18 de Setembro de 2018

  • 29/01/2018
  • 13:54
  • Atualização: 14:03

Busca por vacina contra a febre amarela intensifica movimento em postos de saúde de Porto Alegre

Quem for viajar para áreas de risco deve se imunizar com 10 dias de antecedência

Na manhã desta segunda, movimento era intenso no Centro de Saúde Modelo | Foto: Alina Souza

Na manhã desta segunda, movimento era intenso no Centro de Saúde Modelo | Foto: Alina Souza

  • Comentários
  • Cláudio Isaías

Os postos de saúde de Porto Alegre registram intenso movimento de pessoas em busca da vacina contra a febre amarela. Na manhã desta segunda-feira, tanto no Centro de Saúde Modelo, na rua Jerônimo de Ornelas, quanto na Unidade Básica de Saúde Santa Cecília, na rua São Manoel, a população foi realizar a imunização contra a doença.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que a vacina contra a febre amarela está disponível gratuitamente em toda a rede de postos de saúde da cidade para pessoas com idades entre nove meses e 59 anos. Uma dose é suficiente para imunização por toda a vida. Pessoas com mais de 60 anos, gestantes e imunodeprimidos devem apresentar atestado médico caso queiram se imunizar.

O advogado José Rezende, morador do bairro Azenha, disse que decidiu realizar a vacina porque no final mês de fevereiro fará uma viagem ao Rio de Janeiro. Pelo mesmo motivo, a técnica em radiologia Letícia Fagundes foi ao posto para se imunizar porque irá viajar para o Nordeste no mês de março.

• Metade da população de Porto Alegre já está imunizada contra febre amarela, diz SMS

A médica veterinária Rosa Maria Carvalho, da Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde da SMS, informou que as pessoas que pretendem viajar para os estados com surto da doença procurem realizar a imunização com 10 dias de antecedência. A vacina em dose única somente deve ser feita por quem ainda não tenha se vacinado.

Atualmente, há confirmação de casos de febre amarela silvestre em áreas de mata de cidades da região Sudeste (São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo) e na Bahia. Entre julho de 2017 e o começo de 2018, foram notificados no Brasil 470 casos suspeitos. Deste total, 35 foram confirmados, com registro de 20 mortes. Mais 145 ocorrências seguem em investigação pelo Ministério da Saúde.

A SMS informa que até o momento, não há circulação do vírus da febre amarela em Porto Alegre, nem no Rio Grande do Sul. Como a dose está no calendário nacional e à disposição da população ao longo de todo o ano, devem fazer a vacina, prioritariamente, pessoas que vão viajar para países que exigem a certificação e para os locais com transmissão do vírus. A secretaria alerta que quem já foi imunizado não precisa da dose de reforço. Os sintomas da doença são dor de cabeça, febre, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos) e hemorragias (de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina).

O Ministério da Saúde informou que os casos de febre amarela registrados no país permanecem no ciclo silvestre, ou seja, a doença é transmitida apenas pelos mosquitos encontrados no ambiente silvestre, dos gêneros Haemagogus e Sabethes. O último caso de febre amarela urbana foi registrado no Brasil em 1942. Portanto, os cuidados devem ser redobrados para os viajantes que se deslocarem para zonas rurais e áreas de mata.