Correio do Povo | Notícias | Ministro formaliza investimentos no Hospital São Lucas e Conceição

Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

  • 08/02/2018
  • 15:07
  • Atualização: 18:48

Ministro formaliza investimentos no Hospital São Lucas e Conceição

Montante de 70 milhões de reais são provinientes de emenda parlamentar da bancada gaúcha

Ministro da Saúde, Ricardo Barros, formalizou o investimento no Hospital da Puc e da Conceição | Foto: Guilherme Testa

Ministro da Saúde, Ricardo Barros, formalizou o investimento no Hospital da Puc e da Conceição | Foto: Guilherme Testa

  • Comentários
  • Jéssica Hübler

Durante visita ao Rio Grande do Sul, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, abriu os trabalhos em Porto Alegre e participou de formalização de investimentos na área, tanto no Hospital São Lucas (HSL) da Pucrs, quanto no Grupo Hospitalar Conceição (GHC). Após as primeiras atividades, o ministro seguiu para as cidades gaúchas de Passo Fundo e Caxias do Sul. O primeiro compromisso foi o anúncio de liberação de recursos para ampliar a assistência no HSL da Pucrs.


Nele foi anunciado um montante de R$ 70 milhões oriundos do governo federal, provenientes de emenda parlamentar da bancada gaúcha. Os recursos devem ser utilizados na ampliação da capacidade de atendimento na unidade. Cerca de R$ 42 milhões serão destinados à reforma e R$ 28 milhões, para aquisição de equipamentos.


“É um grande investimento e fico feliz que esteja sendo colocado nas mãos de quem pensa como nós pensamos e estamos agindo no Ministério da Saúde”, afirmou. Conforme Barros, o modelo de financiamento no Brasil está errado. “Nós financiamos a cura da doença e não a promoção da saúde então, necessariamente, nós precisamos mudar o modelo de financiamento”, ressaltou.




Com base nas mudanças que Barros considera necessárias, disse ainda que não é possível realizá-las se não souber o que está acontecendo com a Saúde no Brasil. “Por isso todos os mecanismos que estamos desenvolvendo e estão sendo implantados são tão importantes, estamos fazendo uma verdadeira revolução com a informatização”, enfatizou, referindo-se aos recursos tecnológicos que estão sendo ampliados na Saúde em todo o País.


No encontro, o vice-reitor da Pucrs e presidente do Conselho Diretor do HSL, Jaderson Costa da Costa, apresentou o Projeto Campus da Saúde, onde os recursos serão investidos. Segundo ele, trata-se de uma corrente visionária que começou pelo esforço da bancada gaúcha. “Uma demanda que a comunidade gaúcha anseia”, destacou.


A intenção, conforme Costa, é diminuir os custos com a doença pela prevenção e a criação de programas de gestão de saúde para o Estado e prefeituras. “Ao contrário de outros projetos da saúde, não tem como objetivo a doença, mas sim a promoção da saúde”, ressaltou. Conforme Costa, saúde diz respeito a tratar doença, mas também preveni-las. “Antes de tudo, envolve a promoção do bem-estar e do estilo de vida saudável, que vai desde dietas saudáveis e atividades físicas, até a redução da violência, responsável por elevadas taxas de mortalidade entre os jovens e a diminuição da solidão e da depressão, para promover a felicidade”, afirmou.


Também estiveram presentes o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, o secretário municipal da Saúde, Erno Harzheim, o deputado federal e coordenador da bancada gaúcha, Giovani Cherini (PR), o deputado federal Carlos Gomes (PRB), demais deputados federais, vereadores e o reitor da Pucrs, Evilázio Teixeira. O São Lucas é um hospital geral, sem fins lucrativos, e hoje possui 448 leitos, sendo 206 do Sistema Único de Saúde (SUS).


Entre as especialidades atendidas na unidade estão oncologia, cirurgia cardiovascular, nefrologia e obstetrícia. Conta com uma equipe com 1,2 mil médicos do corpo clínico e 2,7 mil funcionários. De acordo com as estatísticas do próprio hospital, são realizadas anualmente, em média, 240,5 mil consultas ambulatoriais, 23.319 procedimentos, 2,6 milhões de exames, mais de 20,2 mil cirurgias e 26,3 mil internações.


Em 2017 a unidade recebeu R$ 18,62 milhões de recursos federais para custeio de serviços de alta complexidade. Além disso, o hospital faz parte do Plano de Expansão da Radioterapia e deverá receber, do Ministério da Saúde, um acelerador linear para substituição de equipamento até o final de 2019.